terça-feira, 29 de janeiro de 2013

O rival não descola!


O título do ‘post’ é um desabafo de Jorge Jesus que, sinceramente, não entendemos tendo em conta aquilo que tem sido a história recente do futebol português. Estando o FC Porto a realizar uma época idêntica a tantas outras, não se compreende a inquietação do treinador do Benfica com o actual rendimento do FC Porto de Vítor Pereira. Os números não são assim tão extraordinários para quem, como o FC Porto, faz disto uma marca regular: apenas 6 pontos desperdiçados e 8 golos sofridos em 16 jogos (1 golo sofrido a cada 2 jogos), uma média que o FC Porto de Villas-Boas até superou à passagem da mesma 16ª jornada (tinha mais 2 pontos e levava apenas 7 golos sofridos). Ou seja, quem não tem descolado é o Benfica. E é provável que o nosso maior rival continue lado a lado com o FC Porto até bem perto do final da Liga. Nunca, como esta época, fez tanto sentido dizer-se que o importante é chegar à última jornada em primeiro!
Ontem, o FC Porto juntou intensidade à boa posse de bola e organização dos últimos jogos. Foi uma exibição cheia e com pormenores deliciosos.
É pena Vítor Pereira não dispor neste momento de alternativas a Varela e Defour. Neste tipo de jogos, frente a equipas do meio da tabela, o ‘4-3-3’ do FC Porto pede mais criatividade e imprevisibilidade aos dois extremos. Mas o treinador do FC Porto tem sido inteligente: não tendo essas alternativas prefere reforçar a solidez, impedindo os adversários de explorar essa lacuna, ou seja, a equipa tem ficado ainda menos exposta ao erro do que quando tinha disponíveis Cristian Atsu e James Rodriguez.
Mesmo com tantas condicionantes, a verdade é que o FC Porto além de ter conseguido passar pelos pingos da chuva, até já consegue dar espectáculo. E a tendência é ficarmos mais fortes quando os dois extremos regressarem e quando Liedson e Izmailov se integrarem definitivamente. Vamos ver se os nossos rivais apresentam a mesma fiabilidade quando enfrentarem adversidades…

3 comentários:

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Exibição muito agradável com resultado a condizer. Quando assim é só os elogios e os parabéns a todos, que constituíram um colectivo forte, unido, solidário, talentoso e ambicioso, deve ser realçado.

Não posso porém de deixar passar em claro a azia quase geral dos comentadores, ditos desportivos, que se portaram como agentes do anti futebol. Pelo facto do Gil Vicente não incorrer num jogo faltoso e/ou violento, apelidaram-no de macio! Naturalmente estão habituados a ver o FC Porto ter de jogar contra especialistas no Ragby, no karaté ou no Kung-Fu, com a complacência dos árbitros. E quando são dois expulsos, como contra o Setúbal, cai o Carmo e a Trindade! Enfim, uns tristes alienados.

Um abraço

Maria Ribeiro disse...

Visitem o nosso blogue!
" A Culpa é do Hassan", um sítio para todos os clubes e para todos os gostos. Um grupo de estudantes discute bola.

aculpaedohassan.blogspot.com

Se gostarem adicionem-nos à vossa blogroll!

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

@ Ricardo Vara

« O título do ‘post’ é um desabafo de Jorge Jesus que, sinceramente, não entendemos tendo em conta aquilo que tem sido a história recente do futebol português. Estando o FC Porto a realizar uma época idêntica a tantas outras (...) »

de facto. não tinha pensado por esta perspectiva... é o que se chama de "a outra face da moeda"...
bem observado! :D

abr@ço
Miguel | Tomo II