sexta-feira, 18 de março de 2011

As casas de apostas é que têm razão!

Está ser uma bela aventura esta (breve) passagem do FC Porto pela Liga Europa. Depois do percurso imaculado na fase de grupos, seguiram-se duas autênticas eliminatórias de ‘Champions’: jogos intensos e emocionantes frente a dois adversários que colocaram novos problemas ao FC Porto e que fizeram a equipa de Villas-Boas ‘crescer’. Isto tem sido uma espécie de preâmbulo do que vamos encontrar na ‘Champions’ durante a próxima época. Agora, vamos lá ver se a equipa suporta a responsabilidade que lhe é atribuída pelas casas de apostas, que consideram o FC Porto o principal candidato a vencer a competição.
Ao contrário do que aconteceu na 2ª parte da partida frente ao Sevilha (o FC Porto deixou que os espanhóis levassem o jogo para o campo do imprevisível), desta vez fomos capazes de impor e controlar o ritmo de jogo. Ah, e os postes e o guarda-redes adversário também não atrapalharam tanto como no jogo frente ao Sevilha!
Ou seja, ontem, o que o CSKA fez de positivo no jogo fê-lo por mérito próprio e não por erros que o FC Porto tenha cometido (a propósito: Tosic, o autor do golo, é um excelente driblador).
Agora, nos Quartos-de-final, não há muito por onde escolher. Além disso, depois de eliminar Sevilha e CSKA de Moscovo, o FC Porto está preparado para tudo!
Positivo (+):
- Otamendi, numa exibição colectiva quase perfeita (o FC Porto foi um autêntico bloco!), destacamos apenas aquele que melhor representou o que o FC Porto foi ontem: concentração, entreajuda, espírito de sacrifício,… Jogo brutal do central argentino!
- a estabilidade emocional do FC Porto (é claro que o golo marcado no primeiro minuto ajudou muito, mas a equipa nunca se perturbou com a posse de bola dos russos e as temíveis transições rápidas);
- o FC Porto respeitou muito o seu adversário (justifica-se que o tenha feito, pois os russos venceram 3 dos 4 jogos que disputaram fora na competição e são uma equipa organizada, disciplinada tacticamente e criativa no ataque);
- num momento da época em que vários jogadores se apresentam algo desgastados fisicamente, é bom ter alguns bem frescos: Fucile, Otamendi, Guarín, Fernando, Hulk,…
Negativo (-):
- o elevado custo dos ingressos (40€ para o público: um absurdo!), impediu que o Estádio do Dragão registasse a assistência que a equipa merecia;

3 comentários:

P. Ungaro disse...

Boas,

Se duvidas existissem relativamente a qualidade do FC Porto este ano, ontem ficaram totalmente dissipadas.

Mais um passo na caminhada rumo a Dublin.

Um abraço

http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com

nrvidal disse...

os bilhetes para o publico eram de facto caros!


mas o FC Porto tem mais de 1000 mil sócios, e esses tinham bilhetes a 12€ que não esgotaram.

infelizmente o estádio não estava lotado, mas a culpa não foi do preço dos bilhetes....

já agora, para que é que se paga 9€ de cota quando nem se vai ver os jogos decisivos ?

Dragaopentacampeao disse...

Com um golo na primeira jogada do desafio, não se podia pedir melhor.

No entanto, o FC Porto foi obrigado a grande trabalho defensivo para evitar os golos moscovitas na sua baliza. É que pela frente estava uma equipa que tinha sido vencida em casa própria, mas não ficara convencida.

A qualidade da equipa forasteira ficou evidente pela ousadia com que abordou o jogo. Em poucos minutos conseguiu uma coisa inédita no Dragão: Uma série de cantos impressionante.

O FC Porto sentiu dificuldades, nesse período, tanto mais que no capítulo do passe as coisas não estavam a sair de feição. Valeu-nos o desacerto defensivo adversário e o excelente quanto oportuno aproveitamento dos erros para aumentar a vantagem.

Porém, nem mesmo com três golos para recuperar, O CSKA baixou os braços. Conseguiu marcar um golo e criar alguma intranquilidade.

Só com a alteração do sistema táctico para o 4x4x2, com a entrada de Belluschi, o FC Porto tomou conta da partida, controlando-a até final.

Os Dragões acabavam de eliminar um dos mais sérios candidatos à vitória final.

Gostei especialmente do desempenho defensivo portista e da actuação de Fernando, um dos melhores em campo.

Preocupei-me com a manifesta falta de qualidade de passe, que provoca alguma irritação e submete a equipa a esforços redobrados.

Um abraço