sexta-feira, 11 de março de 2011

Sol da Colômbia derreteu Moscovo!

Depois de um curto período de férias, nada melhor do que regressar aos ‘posts’ após uma bela vitória na Liga Europa. E já são 6 vitórias fora de casa desde o início da competição, ou seja, tantas quantos os jogos até agora realizados. Brilhante!
Mesmo sabendo que defrontava um adversário consistente e tacticamente disciplinado, o FC Porto não deixou de jogar no meio-campo adversário e ter mais posse de bola. Villas-Boas prometeu e cumpriu: o FC Porto foi dominador. Uma atitude que não deixa de ser algo arriscada para quem joga no campo do adversário, mas da qual Villas-Boas não quer abdicar independentemente do nome do adversário ou das condições climatéricas. Excelente postura!
Comparando o futebol do CSKA de Moscovo com o do nosso anterior adversário na competição, o Sevilha, rapidamente chegamos à conclusão que os russos (eliminaram o Sevilha na ‘Champions’ da época passada) são mais organizados e disciplinados tacticamente. No entanto, esse jogo parece encaixar melhor naquele que é praticado pelo FC Porto. O estilo que o Sevilha utiliza quando ataca (transições rápidas e sucessivos cruzamentos para a área) causou muitos problemas ao FC Porto.
Ontem, notou-se que o CSKA de Moscovo estudou bem o FC Porto. Os russos optaram por ‘partir’ a equipa: atacavam com muita gente, mas também defendiam com muitos jogadores e numa linha defensiva baixa, ou seja, optaram por deixar um ‘buraco’ no meio-campo, um posicionamento que o FC Porto demorou a saber aproveitar.
Agora, Villas-Boas não deve ter receio de dar descanso a alguns jogadores (Rolando, Moutinho,…) já no próximo jogo da Liga portuguesa. A Liga Europa está a ficar cada vez mais “apertada” e foi precisamente para se poder concentrar nesta competição que o FC Porto conquistou uma vantagem de 11 pontos (na prática são 12) sobre o 2º classificado do campeonato.
Positivo (+):
- confesso que fiquei algo apreensivo com a titularidade de Guarín (Belluschi garantia outra qualidade de passe, um trunfo para combater o ‘jogo de posse’ dos russos), mas o colombiano marcou um belo golo (está numa fase da carreira em que não necessita de rematar tantas vezes à baliza para fazer um golo) e foi o jogador do FC Porto que melhor se adaptou ao relvado sintético;
- Helton (a realizar a melhor época da carreira), Rolando (sempre autoritário), Otamendi (subtil a forma como interceptou alguns lances perigosos) e Fucile (concentrado e disponível) foram o garante da consistência defensiva;
- a 2ª parte do FC Porto: a equipa foi mais agressiva na procura da bola e mais incisiva no ataque (e ainda nos demos ao luxo de terminar o jogo com sucessivas trocas de bola, um ‘meiínho’ que irritou bastante Leonid Slutsky, o técnico do CSKA);
Negativo (-):
- a postura ambiciosa que o FC Porto sempre coloca em campo deixa-lhe um problema: fica sempre algum espaço nas costas da defesa, um risco que uma equipa que quer ser grande tem que correr;
- na 2ª mão, o FC Porto tem que ter mais atenção às diagonais de Doumbia e aos constantes movimentos de recuo de Vágner Love para a ‘posição 10’;

4 comentários:

Dragaopentacampeao disse...

Foi uma vitória feliz, num relvado difícil, a avaliar pelas dificuldades sentidas por grande parte dos nossos jogadores.

Helton esteve gigante a assegurar o nulo, na primeira parte, para no segundo tempo vir ao de cima a maior classe do FC Porto, que finalmente tomou conta do jogo, conseguindo o triunfo com um belo golo de Guarín (para mim muito mais útil que Belluschi) e com a sensação de que o marcador poderia ter sido alargado.

A eliminatória está longe de se considerar ganha, mas que este resultado constitui um passo importante para o conseguir, ninguém o pode negar.

Um abraço

Armando Pinto disse...

Grande resultado, no dia em que foi descoberto na net o autor do crime da colocação das escutas do chamado apito na internet, segundo circula por todos os lados informáticos. O que leva a constatar que: Com estas provas e conclusões, a SAD e a Direcção do F. C. Porto têm de exigir ao Ministério Público uma investigação coerente e séria, embora, contando com o alheamento institucional do regime, devam quanto antes fazer chegar estas queixas aos tribunais europeus respectivos, já.
Vamos ver, também, se haverá algum órgão de comunicação sério e isento que abra os olhos para isto, apesar de sabermos que em Portugal só há cobardes e oportunistas nos lugares cimeiros dos órgãos de comunicação, ou seja quem pode fazer alguma coisa.
Porém, sabendo-se que vai haver de tudo para branquear a situação, o clube deveria começar por uma conferência de imprensa a abrir este processo, pois neste esquecimento propositado, assim, está encoberto e poderá ser enterrado...

http://longara.blogspot.com/

Tiago B. disse...

Grande Porto!
Assim se vê a fibra de um campeão.
Esta equipa pode não dar espectáculo mas é sólida que nem um bloco de cimento. Em 2003 estive presente no braseiro de Sevilha e se Deus quiser este ano estarei em Dublin, assim queiram os nossos campeões.
Quanto às escutas, que se puna quem tiver de ser punido, se foram colocadas de forma ilegal que se puna quem o fez, mas dúvido que da parte da nossa SAD se tome alguma posição. O silêncio dominante em diversos casos (o que nunca foi apanágio na nossa casa) mostra que quanto menos se falar do tema "escutas" melhor. E muito sinceramente acho que é o melhor a fazer neste caso, visto que infelizmente saímos bem por baixo.

Força PORTO!
Força DRAGÕES!

Anónimo disse...

Agressões Verdadeiras no Túnel da Luz ao Team Manager do FC Porto Acácio Valentim

via Público

http://videos.publico.pt/Default.aspx?Id=484bfe16-3a8f-4512-8685-1a93ae91e2b8

Alguém se indignou ?!