sexta-feira, 18 de maio de 2012

O FC Porto e a imprensa indígena

A mais recente conquista do FC Porto foi, e continua a ser, desvalorizada pela imprensa afeta ao clube de todos os regimes. Aliás, perfeitamente consentânea com a desigualdade de tratamento que é dado aos dois emblemas em situações análogas. Não deixa no entanto de ser intrigante ver até que ponto chega a estupidez que continua a não conhecer limites, ao contrário da inteligência que tem as suas limitações. A fronteira entre o bom senso e o ridículo, nos dias de hoje, é cada vez mais ténue e ultrapassada com muita frequência pela comunicação social, e em particular pela desportiva. Não é pois de admirar que as vendas dos jornais estejam em queda há anos consecutivos, os leitores não são ingénuos e não acreditam em tudo que lêem. A mais recente campanha de intoxicação da opinião pública (em especial aos adeptos benfiquistas, e a esses, devido ao grau de exigência a que estão habituados, não será difícil convencê-los) levada a cabo pelo clube que floresceu à sombra do regime salazarista, pode ser um daqueles casos em que o feitiço se volta contra o feiticeiro, porque qualquer pessoa com o mínimo de inteligência já percebeu que tudo isto não passa de uma tentativa de criar uma vaga de fundo que leve à reeleição do atual presidente “omniausente” do clube da segunda circular.  Temos o privilégio raro de pertencer a um clube que apesar de não merecer os holofotes dos media continuar a crescer e a vencer, e no fundo não é isto que realmente interessa?
Amândio Rodrigues

1 comentário:

CC disse...

Palavras para que? O PoRTO quanto mais ganha mais os mouros ficam com raiva e, consequentemente, menos ênfase dão às Grandes conquistas deste nosso grande Clube.

Viva o Porto e, já agora...Viva o Porto Canal que tanto tem dado ao nosso clube nos ultimos tempos.

Cumprimentos