segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Os ausentes fizeram muita falta!

Quando Jackson falhou a grande-penalidade a 20 minutos do final do jogo o Estádio do Dragão sentiu que seria difícil desbloquear um jogo que pedia paciência e astúcia. Não seria com Tozé e Sebá que o FC Porto faria a ‘remontada’. Houve raça e atitude, mas faltou discernimento para ultrapassar um novo cenário: uma desvantagem madrugadora e um adversário que soube jogar com a ansiedade do FC Porto. O Olhanense obrigou o FC Porto a correr muitos riscos e a jogar quase no limite em termos de organização e posicionamento. Se a isso juntarmos pelo menos 3 exibições individuais (Mangala, Jackson e Varela) desinspiradíssimas….
Julgamos que nunca como ontem Vítor Pereira terá sentido tanta impotência no banco de suplentes. Foi obrigado a tentar mudar o rumo do jogo com dois miúdos e um veterano. Que falta fizeram os ausentes Atsu, James e Defour!
Apesar do inesperado empate de ontem, é justo reconhecer que o FC Porto mantém uma notável cadência pontual: somámos pontos em todos os jogos. Não é nenhum drama ceder pontos no Dragão. Serenidade: a bola continua a estar do nosso lado!

1 comentário:

ℙΣ₦₮∀ ➀➈➆➄℠ disse...

efectivamente dá muito trabalho apoiar a Equipa pela positiva e não ao sabor da maré...
(o que não é o caso de muitos de nós, indefectíveis portistas dos quatro costados que estão sempre com a nossa equipa do coração, mesmo nos maus resultados e não "atiramos a toalha ao chão" ao primeiro revés...)

somos Porto!, car@go!
«este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
Miguel | Tomo II