terça-feira, 21 de setembro de 2010

Carrega FC Porto!

Se, como diz Jorge Jesus, «há muitos frangos para virar», o FC Porto parece bem preparado para a autêntica franganada que são as 30 jornadas da Liga portuguesa. O problema é que o actual FC Porto de Villas-Boas não se limita a “virar o frango”: prepara-o e come-o!
Hoje, ainda o carvão não estava em brasa e o FC Porto já tinha “virado o primeiro”. Desta vez, contrariando o que aconteceu nos últimos jogos, o FC Porto entrou bem no jogo e antes de passar para a frente já tinha criado duas ou três boas oportunidades para marcar, todas antes dos 20 minutos de jogo. No final, o 0-2 acabou por ser lisonjeiro para a equipa de Jokanovic, que viu Bracalli ser dos melhores em campo.
Também devemos reconhecer que este Nacional (venceu o Benfica!) dá a sensação de não estar tão forte como em anos anteriores. Ainda assim, julgamos que nem o ‘Nacional de Manuel Machado’ conseguiria vencer este ‘FC Porto de Villas-Boas’. Esta jornada acabou por ser generosa para o FC Porto (houve dois candidatos, Sp. Braga e Sporting, que perderam pontos), que agora se pode dar ao luxo de perder um jogo e ainda assim manter o primeiro lugar da Liga (o Vit. Guimarães, que é 2º, está a 4 pontos de distância).
Apesar do discurso optimista (estive tentado a escrever fantasioso!) de Jorge Jesus, a verdade é que o Benfica fica super-pressionado com a actual desvantagem de 9 (!) pontos. Já tínhamos saudades deste tipo de cenários: ver os outros a correr atrás do prejuízo!
Recentemente, coloquei aqui a possibilidade de Villas-Boas deixar à equipa o desafio de chegar ao jogo com o Benfica (10ª jornada) só com vitórias. Apesar de na altura ter sido algo intempestiva, a verdade é que essa possibilidade é hoje cada vez mais viável. Não seria nada surpreendente que, perante a qualidade de jogo que vem apresentando, o FC Porto vencesse os próximos 4 jogos que vai disputar na Liga, frente a Olhanense (casa), Vit. Guimarães (fora), U. Leiria (casa) e Académica (fora). Um estímulo!
Positivo (+):
- hoje começamos por destacar positivamente o excelente momento físico que a equipa do FC Porto atravessa (por volta dos 60 minutos de jogo, já com o resultado em 0-2 e depois de um jogo europeu a meio da semana, era o FC Porto a imprimir o ritmo e a forçar o terceiro golo);
- João Moutinho: atitude contagiante!
- Fernando está transformado num autêntico transportador de jogo, um ‘box-to-box’ que percorre todo o campo e raramente perde a bola (essa liberdade deixa os defesa centrais do FC Porto mais desprotegidos, mas permite à equipa ganhar superioridade numérica no meio-campo e pressionar mais alto; Uma vantagem, portanto!);
- Maicon: o ‘careca’ da defesa do FC Porto não tem a técnica de um defesa como Ricardo Carvalho, mas é intransponível no jogo aéreo, rápido sobre a bola e lê bem o jogo;
- Varela: agora sim, a força, velocidade e potência estão a carburar;
Negativo (-):
- ontem, o único aspecto negativo foi o pouco discernimento que o FC Porto revelou no último passe (foram várias as vezes em que o FC Porto se apresentou em superioridade numérica nos últimos 30 metros e nem sequer conseguiu atirar à baliza);

3 comentários:

Anónimo disse...

temos uma porposta a fazer-lhe.

Aguardamos contacto em

GERAL@FCPORTO24.COM

Dragaopentacampeao disse...

Mais um jogo, mais uma vitória. Parece ser o lema desta equipa portista liderada por André Villas-Boas, que conta por vitórias todos os jogos oficiais disputados esta época.

Com humildade, trabalho, entreajuda, espírito de sacrifício e ambição, este grupo de trabalho faz o seu percurso imaculado, sem espalhafato, sem propaganda e sem o histerismo da CS. É assim que deve ser, é assim que eu gosto, é à FC Porto!

Não foi um grande espectáculo de futebol, longe disso, mas os Dragões deixaram evidente no relvado húmido e escorregadio do estádio Madeira a sua superioridade, selando um triunfo justíssimo que só peca por escasso, tal o número de ocasiões de golo desperdiçadas (incluindo uma penalidade máxima), umas vezes graças à exuberância do guarda-redes Bracalli, outras por ineficácia dos rematadores portistas.

Maicon foi para mim o melhor jogador portista (o melhor em campo foi Bracalli, logo seguido de Moutinho (que bela exibição)e do insuspeito Fernando.

Pena que alguns atletas tenham denotado inadaptação ao relvado (Hulk esteve desastrado)e outros aparentemente alheados do jogo.

Esta equipa merece mais regularidade exibicional pois tem matéria-prima para o conseguir, como demonstrou já esta época.

Se não puder ser Ópera, que seja a «Valsa» vienense/87, para contrastar com o Fado Calimero e a «Pimba» das papoilas saltitantes.

Um abraço

P. Ungaro disse...

Claro que não foi uma exibição brilhante, no entanto suficiente e equilibrada.

Destaco o Maicon, mais uma vez penso que vamos dar um grande central ao futebol mundial.

Continuo a dizer, que não entrando em euforias, mantendo a garra e determinação podemos ir longe.

Um abraço

http://www.fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/