sexta-feira, 8 de abril de 2011

A-V-A-S-S-A-L-A-D-O-R!

Duas competições já conquistadas (Supertaça Cândido de Oliveira e Campeonato nacional), uma meia-final da Taça de Portugal ainda por disputar, apuramento para as meias-finais da Liga Europa praticamente garantido, 109 golos marcados em jogos oficiais,… etc… etc… etc… Impossível pedir mais ao FC Porto 2010/11! Ontem, depois do banho de moral que foi a festa e a vitória na Luz, a equipa poderia sentir-se tentada a enfrentar os moscovitas de ‘peito aberto’, correndo maiores riscos. E NÃO É QUE FOI MESMO ASSIM! Tirando a primeira meia-hora de jogo, período em que o Spartak de Moscovo se mostrou atrevido e organizado, o FC Porto foi suficientemente inteligente para vencer por uma margem confortável e não se expor demasiado aos contra-ataques adversários. Potenciámos a euforia e mantivemos a confiança!De facto, o lado emocional dos jogadores acabou por ser decisivo frente a uma equipa que venceu 4 dos últimos 5 jogos que disputou fora de casa nas competições europeias. Assim, só um FC Porto verdadeiramente empolgante e endiabrado poderia vencer o Spartak de Moscovo por 4 golos de diferença. Se compararmos o futebol que o Spartak pratica com o da outra equipa moscovita com quem o FC Porto se cruzou, chegamos à conclusão que o CSKA é bem mais organizado, principalmente a nível de posicionamento defensivo. Até houve um momento no jogo (depois dos 70 minutos) em que a equipa de Valeriy Karpin se desintegrou. Mas caramba, com um FC Porto que é um autêntico rolo compressor quantas equipas não se desintegravam?Positivo (+): - a conquista do título na Luz fez aumentar ainda mais a empatia entre o público do Dragão e os jogadores: fantástica atmosfera à volta do jogo! - Falcão: o «hat-trick» já seria suficiente para merecer nota positiva, mas o que mais nos impressionou foi a forma emocionada (quase em lágrimas!) como se apresentou na ‘flash interview’ (nota-se que para ele é um prazer e um privilégio vestir a camisola do FC Porto); - a gula do FC Porto: houve um período do jogo (após o golo dos russos) em que seria aconselhável fazer um futebol mais calculista, mas o FC Porto não abdicou de atacar e “cavar” uma diferença de golos impressionante para uns ‘Quartos-de-final’ de uma prova europeia; - a cultura de vitória do FC Porto também se faz sentir junto do exigente público do Dragão: o campeonato já lá vai, precisamos de novas conquistas!

Negativo (-): - os primeiros 20 minutos de jogo: apesar de não ser uma equipa tão organizada como o nosso anterior adversário na prova - o CSKA - , o Spartak de Moscovo tem alguns jogadores (Ibson, Welliton,…) que durante esse período obrigaram o FC Porto a correr mais do que o inicialmente previsto;

2 comentários:

Artur Guedes disse...

Excelente segunda parte do FC PORTO e enorme jogo de R. FALCAO, que grande jogador:

(com musica de uma canção da Dina)

Jogou, marcou e "não" foi de cabeça
Falcão não há quem não te conheça
És um goleador ...
Fazes com que o Porto mais cresça

http://omundoazulebranco.blogspot.com/

Retrato na Parede disse...

Parabéns pelo blog. Gostaria de fazer uma parceria de troca de links?

Abraço.
http://retratonaparede.blogspot.com/