quinta-feira, 4 de outubro de 2012

“Clássico é clássico e vice-versa”


O epíteto que dá o mote a esta prosa foi dito por Mário Jardel, que como se sabe tinha muito mais jeito para jogar com a bola do que com as palavras, mas que apesar de contraditória carece de melhor apreciação. Numa perspetiva generosa, diríamos que aquilo que super Mário quis dizer foi que, nos jogos entre os chamados grandes, não há favoritos à priori independentemente do fator casa. No confronto de domingo entre o FC Porto e o Sporting, em face da exibição preconizada pelos dragões na Champions, serão os azuis e brancos aqueles que mais probabilidade de êxito terão, se a equipa que se apresentar em campo tiver a mesma atitude que demonstrou em Vila do Conde, então tudo pode acontecer. Apesar do sucesso da Liga dos Campeões, ainda subsistem alguns aspetos a corrigir, nomeadamente a desconcentração momentânea do guarda-redes e dos centrais, e que só por sorte não causou amargo de boca contra o PSG, e falta de eficácia que o ataque tem exibido, corrigidas estas fragilidades acredito que o caminho para o sucesso fique mais acessível.
Amândio Rodrigues

2 comentários:

Futebol Magazine disse...

Sigam o projecto de revista online mais entusiasmante do universo virtual em português.

Futebol Magazine
www.futebolmagazine.com

Uma tertúlia futebolística para tudo e todos!

Armando Pinto disse...

Jogo importante, por tudo e mais alguma coisa, como se sabe. Os jogos com os lagartos foram sempre incertos, pela matreirice que costuma ter proteção de certos árbitros e agora com o Jorge é a dedo... sabendo-se como ele tem lixado o Porto. Confio que a nossa equipa consiga superar tudo, até a onda de certo favoritismo que não deve contar. A campanha está montada, como se viu no jogo dos mouros contra o Beira-Mar, por isso há que ter sempre um pé atrás... e o da frente ser destemido e bem assente.
Abraço.
Memória Portista