segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Displicência!

Inacreditável o empate (2-2) de hoje na Reboleira. Depois de uma boa exibição durante 60 minutos, o campeão revelou uma incrível displicência nos momentos finais. O esforço de Terça-feira, no jogo frente ao Marselha, não explica tudo. Hoje tratou-se de falta de concentração, que parece faltar sempre que o FC Porto tem vantagens confortáveis no campeonato. O FC Porto foi dono do jogo durante 1 hora. Nesse período, o triângulo triturador Assunção-Meireles-Lucho voltou a impor a lei do mais forte e o Estrela sentia-se asfixiado. Mas em 15 minutos tudo mudou! Depois das substituições, que se previam perante o desgaste de Lucho e Meireles, o FC Porto nunca mais voltou ao jogo. O Estrela, que nunca baixou os braços, limitou-se a aproveitar o desleixo do campeão para chegar à igualdade. Ironicamente, foi depois de Lisandro Lopez quase ter feito o terceiro golo, atirando ao poste, que o Estrela começou a acreditar.
A tradição de perda de pontos na Reboleira mantém-se. O Estádio José Gomes parece ter fantasmas!
Agora, 4 pontos de vantagem para o segundo até parecem curtos face ao bom futebol e consistência que o FC Porto tem mostrado. E atenção aos próximos dois jogos: recepção ao surpreendente Vit. Setúbal e visita à Luz!

7 comentários:

Anónimo disse...

A aflição da epoca passada das ultimas jornadas, volta a estar presente, o facilitar esta a cumplicar as contas.

Adriano Correia disse...

E quem facilita ?

Os jogadores (que jogam), o técnico (que orienta) ou... o presidente (que dirige)?

Destes três factores, qual o que esteve ausente nos últimos tempos?

É um desafio ao... raciocínio.

Ricardo Vara disse...

É verdade Adriano. A ausência do Presidente é sempre notada mas frente ao Estrela foi mesmo desleixo. Diz, quem viu, que o Presidente no final estava com cara de muito poucos amigos. Espero que isso se reflicta já no próximo jogo!!!
Obrigado pelos breves comentários aos "posts". Que memória!
Volte sempre!

Anónimo disse...

Os pontos perdidos não são alarmantes, nem poderíamos pensar que seríamos campeões sem perder pontos, mas para quem está habituado a ganhar..... são pontos perdidos infantilmente.
Tenho confiança no plantel, julgo que será o factor que fará a diferença nesta época, a qualidade do plantel do FCP é superior aos rivais de Lisboa. Já que o elo mais fraco será o treinador, para mim não tem capacidade nem humildade para treinar um clube como Porto.

Adriano Correia disse...

Amigo Ricardo Vara:


«Passei» só agora por aqui.

A «cara de poucos amigos» dele, presidente, deve ter a ver com a perca de duas semanas de salário...

Será?

Estou a brincar, até porque me lembro de um seu famoso «slogam» nas «sessões de esclarecimento» aquando da campanha eleitoral de 1982, para a primeira candidatura, em que dizia:

- «JAMAIS GANHAREI UM TOSTÃO AO SERVIÇO DO CLUBE».


Mas, até fazia jeito para o novo ginásio (perdão... Pavilhão) a construir. Sempre seriam mais umas cadeiritas a acrescentar às 2.007 previstas.

Tenho estado mais focalizado no blogue «O Dragão», onde passei a
«trocar» impressões com outros amigos portistas.

Não sempre coincidentes mas é assim a... democracia.

Um abraço do

Ricardo Vara disse...

É curioso, é exactamente esse o tema do "post" de amanhã. O novo «Dragãozinho". E a polémica lotação, claro!

Anónimo disse...

O amor a camisola que muitos apregoam (inclusive dirigentes do FCP) é tudo uma treta, conversa fiada, estão agarrados ao poder porque?
Compra de jogadores que nem lugar tem na 3ª divisão pagas a peso de ouro, que nem chegam a jogar como ex. o mareque, pitbul e outros.
Não existe critério de qualidade, o critério será o que mais comissão der……. para quem?