sábado, 4 de abril de 2009

Muito fortes!

A Liga portuguesa regressou, finalmente! Depois das polémicas das últimas semanas, estão de volta as competições que têm realmente prestígio e encanto, a Liga portuguesa e a 'Champions'. O resto são 'faits-divers'!
Da Taça da Liga já pouco resta. Aliás, só há uma palavra para descrever a reacção do Sporting e posterior resposta benfiquista: ridículo!
Não sei o que foi mais patético, se as queixas do Sporting, que deixou a Direcção da Liga devido a um penalti mal assinalado (e viu o 'pugilista' Sá Pinto defender a 'peitada' de Pedro Silva), ou a reacção do Benfica, que, 3 dias depois, atingiu o cúmulo ao exibir o troféu numa conferência de imprensa. A polémica, alimentada pela imprensa indígena, fez-nos ver ao que os «dois grandes» de Lisboa já chegaram!
No entanto, depois de terminado o frete da Taça da Liga, a Comissão Disciplinar decidiu voltar a animar as coisas e castigou Lisandro por uma pretensa simulação. Que coisa mais despropositada! Agora, depois de aberto o precedente, certamente que vai haver mais jogadores castigados até final do campeonato. Vamos ver se a Comissão Disciplinar mantém a coerência ou se fica condicionada pela ausência de 'ruído' da imprensa indígena em casos que sejam semelhantes.
Mas vamos ao que interessa, o espectáculo e as competições a sério. Hoje, fomos um FC Porto 'à tetracampeão'. Apetece-me dizer: venha o Manchester!
Personalidade, entreajuda, concentração, alegria,... Enfim, foi aquele FC Porto que nós tanto gostamos de ver. A atravessar excelente momento físico e psicológico, a equipa não poupou esforços e entrou em campo determinada a vencer a qualquer custo. Mesmo com Lucho Gonzalez e Cristian Rodriguez no banco de suplentes, o FC Porto venceu (3-1) por dois golos de diferença. Limpinho!
Com o desgaste das viagens e o ciclo de jogos que se aproximam, Jesualdo tomou a melhor opção e deixou os dois sul-americanos fora do «onze». Com Mariano Gonzalez a transpirar confiança e Ernesto Farías ávido de golos, até nem se notou a ausência daqueles dois habituais titulares. O FC Porto imprimiu ao jogo um ritmo constante e intenso, que nem o golo do Vitória conseguiu abrandar. Fomos dominadores e só vacilámos quando o Vitória (que abusou das faltas) optou pelo 'chuveirinho' para a área de Helton. O habitual nestas circunstâncias.
Numa excelente exibição colectiva, destaco apenas o fantástico momento físico que atravessam Mariano Gonzalez, Raúl Meireles, Cissokho e Bruno Alves. Quanto a Hulk, é de outro planeta. Que potência!
Agora, o FC Porto chega a Manchester cheio de moral. Old Trafford é sempre exigente e complicado mas... estamos com água na boca!

3 comentários:

dragao vila pouca disse...

Os Conquistadores somos nós!

A primeira-parte e de forma resumida, pode ser explicada da seguinte forma: entrada forte do F.C.Porto, domínio absoluto, oportunidades flagrantes perdidas, Nilson a brilhar a grande altura e um golo sofrido, claramente contra a corrente do jogo, num desvio de Sapunaru, que enganou Rolando e desconcentrou B.Alves, mal batido pela antecipação de Roberto. Ah, e as sucessivas faltas sobre Hulk, que cada vez que passava os adversários, era derrubado às margens da lei. Portanto: resultado injusto para o F.C.Porto que foi superior e nem sequer merecia chegar ao intervalo empatado, quanto mais a perder.

A segunda-parte, foi parecida com a primeira - um pouquito mais forte e mais consistente -, com a grande diferença, a estar nos golos marcados....e Hulk, continuou a levar pancada! Calma Givanildo, que nós vamos iniciar a campanha: deixem jogar o Hulk!

Numa exibição muito boa, tirando o já falado lance do golo da equipa vitoriana e a esforçada, mas fraca, exibição de T.Costa, todos os outros merecem nota alta. No entanto, os mais para mim foram quatro: Hulk, Cissokho, Raúl Meireles e o mal-amado, Mariano.

Um abraço

NkbEsas disse...

Olá!
Belo blogue,e belo jogo do nosso Porto!
Contudo,posso apenas fazer um pequeno reparo?A relação que faz aos tripeiros,ou à sua origem está correcta menos numa coisa: o povo da invicta deu as carnes aos guerreiros de D.Pedro IV na guerra civil pelo Liberalismo,durante o Cerco do Porto.


Pelo menos,foi o que retirei de uma aula de Históra recente xD

Saudações Portistas!

Paulo Moreira disse...

Grande vitória e grande demonstração de vontade e do querer em alcançar a vitória. Parabéns a todos, treinador e jogadores que souberam ultrapassar as dificuldades.

Cada vez estamos mais perto de alcançar o "envelope" com o tetra.

NkbEsas - eu penso que as carnes foram mesmo para a Armada de Ceuta. "Os estaleiros do porto construiam naus para uma encomenda do reino mas que para a qual se desconhecia a destinação, assim corriam muitos boatos sobre a utilização futura desta frota, foi mesmo questão de ser utilizada para o casamento dos princepes do reino. Certo dia, o Infante D. Henrique veio ao Porto para ver o avançamento da construção naval dos barcos .
O Infante visitou os estaleiros e apreciou o trabalho que ai se fazia , confiando no mestre encarregado das obras "mestre Vaz", disse-lhe que essas embarcações se destinavam à conquista de Ceuta, para isso lhe pedia de guardar segredo e de motivar os homens a mais empenho e sacrificios a fim de levar a bem essa obra.
O mestre Vaz assegurou-lhe que faria tudo que fosse possivel e faria mesmo a mesma coisa que fizeram anos a tras, quando as guerras com Castela: o povo do porto, Comeram so tripas para poderem dar a carne aos soldados que combatiam os castelhanos. Por este sacrificio as gentes do Porto eram mesmo conhecidos pela alcunha de "tripeiros".
O Infante D. Henrique ficou tão impressionado e emocionado pelo gesto que honrava este povo, e disse que esse nome de "tripeiros" entraria à historia de Portugal como um sacrificio heroico e invulgar do povo do Porto.

Dos estaleiros dos " tripeiros" do Porto, sairam 20 naus e 7 galés que participaram a grande frota do Infante D. Henrique , que conquistaram Ceuta".