quinta-feira, 16 de abril de 2009

O «cromo do dia» - Armando

Hoje, o «cromo do dia» é uma iniciativa do Armando Pinto, que teve a gentileza de me enviar o texto e as fotos do Armando, um guarda-redes que representou o FC Porto no final dos anos 50 e no início da década de 70.
"Armando foi um guarda-redes conhecido, entre a massa associativa portista, como um afeiçoado adepto da colectividade das Antas, e que passou pelo seu clube sem conhecer os êxitos que merecia, sendo reconhecido por seus pares como dos melhores valores dessas eras. Ele era um guardião «não espalhafatoso, mais eficiente do que artista voador». Guarda-redes que na Selecção A foi suplente, primeiro de Américo e depois de Damas, durante três anos em que foi escolhido como nº 2 na turma das quinas. Teve a curiosidade de ter chegado a ser considerado especialista a defender penaltis, especialmente do Eusébio, com a particularidade de, em consequência disso, ter sofrido uma lesão (de dois dedos partidos) numa ocasião em que o pantera negra não o conseguiu bater de pontapé da penalidade máxima.
Armando Pereira da Silva formou-se no FC Porto, começando nas Escolas e seguindo até aos juniores, em cujo último ano, 1958, na transição para sénior, foi escalado para suplente do jogo da final da Taça de Portugal, no Jamor, conquistada pelo FC Porto através de saborosa vitória sobre o Benfica por 1-0, com célebre golo de Hernâni. Logo a seguir, foi com a equipa principal em digressão a Angola e Moçambique, e durante dois anos fez parte do plantel sénior, tendo mesmo jogado três jogos na 1ª equipa e ainda sido suplente de Acúrcio, em 8 jogos. Com incorporação no serviço militar pelo meio, acabou por ser dispensado, em 1960, ingressando então no Gil Vicente, de Barcelos, para logo de seguida ter sido mobilizado para a guerra colonial, indo para Angola, onde ainda chegou a representar o Ferroviário de Malange, ajudando a conquistar o título provincial.
Após o regresso à vida civil, representou durante um ano o Salgueiros, para depois ingressar no Braga. Aí conquistou o seu maior triunfo como titular, ao serviço do Sp. de Braga, quando a turma arsenalista do Minho ganhou a final da Taça de Portugal, em 1966, por 1-0 (golo de Perrichon), contra o Setúbal.
Dez anos depois de ter saído das Antas, em 1970, regressou ao FC Porto, no início da temporada de 1970/71 (após a saída do Américo e, da época 1969/70, em que o clube experimentou diversos guarda-redes e acabou o campeonato em 9º lugar). Tendo começado como titular, viveu diversas fases, até que, vítima de algumas políticas (que não interessa agora dissecar), foi relegado para suplente, acabando por regressar a Braga dois anos depois, para acabar a carreira.
Entretanto, durante a sua carreira, havia sido seleccionado para diversas formações representativas, como foi o caso de ter jogado pela Selecção Militar do Norte (em desafio contra a do Sul), como também pela Selecção da Associação de Braga (contra a do Porto). E, internacionalmente, jogou pela Selecção B Nacional (diante da França B), até que na Equipa A foi suplente contra a Roménia (em Lisboa), Suíça (Lisboa e Berna), Roménia (Bucareste), Grécia (Antas-Porto) e México (Lisboa).
Após o abandono do futebol, foi reconhecido pela Federação Portuguesa de Futebol com a Medalha de Comportamento Exemplar, em virtude de nunca ter tido qualquer castigo. De permeio, nos últimos tempos de futebolista do FC Porto, começou a embrenhar-se no mundo dos negócios, no ramo do vestuário. Por fim, segundo algumas informações, depois de se haver instalado em Braga passou na cidade dos arcebispos a ter um negócio de restauração."
Armando Pinto, 13 de Abril de 2009
Em cima, a ilustrar o 'post', surge uma foto autografada pelo guarda-redes Armando e um «onze» do FC Porto de 1971.
Em cima (da esq p/ dta): Rolando, Pavão, Valdemar, Leopoldo, Gualter e Armando;
Em baixo (da esq p/ dta): Seninho, Bené, Flávio, Abel e Ricardo;

6 comentários:

Anónimo disse...

Obrigado Amigo Ricardo Vara:


Armando é uma das minhas «referên- cias» (memórias) futebolisticas do FC Porto.

A par do Roldão, do Norberto, do Antenor, do José Domingos (todos guarda redes), nos finais dos anos 50 princípios de 60 que não conse- guiram projectar-se pese embora o seu valor.

Na «era» do Pinho, do Acúrcio, do Américo e do Rui.

Depois surgiu o Frederico, o Vaz, o Aníbal, o Sousa, o Matos, o Quim,
etc..

Há dias num jornal desportivo («A Bola») lá vinha o Armando na actua-lidade. Já sectagenário.



PS. - A foto publicada chegamos a vê-la exposta na «Foto Salvador» na Rua de Stª. Catarina, nos anos 70, propriedade do grande portista Mário Capitão (antiga glória portis
ta do hóquei campo), já falecido. Existia uma montra exclusiva para exposição de fotos dos futebolis- tas do FC Porto, lembra-se?

José Costa disse...

Realmente o Armando parece ter sofrido das plíticas da altura, quando quando eram muitos a mandar. Veio, ou regressou melhor dizendo, quando o Hernâni chefiou o dep. futebol das Antas, como alguns outros, e depois que o mesmo saiu de dirigente houve diversas situações, segundo se falou. O Armando, depois de ter passado a suplente, sempre que foi chamado a titular fazia grandes exibições, mas sem que lhe fizessem justiça, voltando depois tudo ao mesmo. Mas agora importa o presente, sem contudo esquecer o passado, que quantas vezes serve de lição.

Rogério Paulo Almeida disse...

Amigo Ricardo Vara,

Uma dúvida... na foto de 1971... será Séninho ou Nóbrega?

Um abraço,


Rogério Paulo Almeida

armando disse...

Na questão sobre a foto de 1971, o elemento em causa é mesmo o Seninho. Apenas que ele era muito jovem, à época, ainda não tinha ido para a "guerra, tendo sido "mobilizado" em 1972 (para Angola, onde foi campeão pelo F. C. Moxico em 1972/73, juntamente com Chico Gordo). Até porque a fisionomia do Nóbrega é bem diferente.
Julgo, se não me engano (tenho algures esses dados) que esta foto é de quando o F C Porto venceu o São Paulo, no Brasil.
Armando Pinto

Rogério Paulo Almeida disse...

Naturalmente aceito, amigo Armando.

Um abraço,


Rogério Paulo Almeida

Anónimo disse...

«... regressou melhor dizendo, quando o Hernâni chefiou o dep. futebol das Antas ...»


Mentira, amigo José Costa.

O Armando regressou em 1970 e o Hernâni chefiou o departamento em 1966/67 aquando da primeira "vez" de Pedroto.

Hernâni que nem completaria a épo ca porque foi castigado depois de uma célebre fuga aquando de um Ben fica-Porto quando se dirigiu ao ár bitro dizendo-lhe para ir «roubar
ao c.... seu filho da p....».

Não mais regressaria...



PS. - É mesmo o Séninho e é verda de que a foto corresponde ao jôgo V Gama-0-FC Porto-1- no Brasil (es treia e golo de Flávio) sendo trei nador Paulo Amaral.