segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Poupadinhos!

Foi um regresso algo suave do FC Porto a uma prova na qual tem cada vez maior protagonismo (o FC Porto venceu 9 das edições da Taça de Portugal disputadas nos últimos 20 anos). Depois daquela jornada de preguiça frente ao Portimonense, voltámos a ter um FC Porto pouco dinâmico e ainda menos agressivo. A verdade é que a boa organização e disposição táctica da equipa têm chegado para levar de vencida estes últimos adversários menos cotados.
Ontem nem poderia ser de outra forma, pois este Moreirense, nos 8 jogos que realizou na Liga Orangina, marcou apenas 4 golos, um ‘score’ que o torna a equipa menos concretizadora dos campeonatos profissionais. Ainda assim, em sua casa ainda não tinha consentido qualquer golo e neste momento qualquer equipa quer ser pioneira (a primeira a derrotar o FC Porto!) e ficar no filme da época 2010/11. Basta ler as declarações que o técnico do Moreirense realizou antes do jogo: «Nós sabemos que se formos os primeiros a derrotar o FC Porto isso terá grande impacto na comunicação social e no nosso clube», confessou Jorge Casquilha.
Para o FC Porto, foi bom sentir a pressão de um jogo a eliminar e, ao mesmo tempo, poder começar a preparar a alternativa a Álvaro Pereira. Curiosamente, estes dois últimos jogos frente a adversários teoricamente mais acessíveis acabaram por coincidir com uma fase em que as lesões e os castigos condicionaram o jogo do FC Porto. Uma atenuante para as duas últimas exibições mais frouxas.
Agora, segue-se a visita a Alvalade. O FC Porto tem que abordar o jogo para vencer. Só dessa forma será possível salvaguardar um qualquer detalhe que durante o jogo nos possa ser desfavorável e, ainda assim, manter a invencibilidade na Liga.
Positivo (+):
- seria importante que o sorteio da próxima eliminatória da Taça de Portugal ditasse um jogo em casa; Se assim for, o FC Porto terá um Natal “gordo” com 3 jogos consecutivos no Dragão: Vit. Setúbal (Liga), adversário a designar (Taça) e CSKA Sofia (Liga Europa);
- Belluschi foi o jogador mais esclarecido do FC Porto (começa a ser irritante a relação intensa que teima em manter com os postes e a barra sempre que remata à baliza);
- a sagacidade de Falcão no lance do golo (o pouco dinâmico Walter dificilmente chegaria àquela bola);
- a organização e bom posicionamento que Villas-Boas trouxe à equipa permite-lhe manter a dinâmica de vitória mesmo sem jogar bem (há um ano atrás, por esta mesma altura, já o elogiadíssimo 'Benfica de Jesus' tinha sido derrotado 2 ou 3 vezes);
Negativo (-):
- os 3 avançados (Ukra, Hulk e Walter) que iniciaram o jogo foram quase sempre inconsequentes e nunca combinaram entre si;
- Emídio Rafael: errou passes fáceis e deixou sempre muito espaço nas costas (seria uma mini-surpresa se fosse titular em Alvalade);

2 comentários:

Hintze disse...

Poupadinhos... para não dizer fraquinhos.

reinododragao.blogspot.com

Anónimo disse...

Tivemos mais uma alegria ontem.....