segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Sim, continuamos invencíveis!

Apesar da imprensa indígena ter sobrevalorizado a exibição do Sporting (não criou nenhuma oportunidade de golo nos mais de 20 minutos que jogou em superioridade numérica!), a verdade é que o FC Porto já ganhou mais de um ponto por jornada ao seu segundo maior rival. O resto são ‘fait-divers’!
No entanto, a vantagem para o segundo classificado caiu agora para os 8 pontos (na prática são 9). A margem continua a ser confortável e foi exactamente para fazer face a estas “escorregadelas” que o FC Porto cavou uma vantagem confortável durante o primeiro terço da Liga.
Não foi surpreendente a forma como o FC Porto se apresentou em Alvalade. Os jogos frente ao Portimonense e Moreirense tinham deixado um claro sinal de abrandamento. Além disso, a tensão e a ansiedade (sentia-se no ar uma certa impaciência pela vitória), que se fizeram sentir na semana que antecedeu o jogo frente ao Benfica, ficaram desta vez arredadas do ‘clássico’ de Alvalade, pelo menos do lado do FC Porto.
Os 5-0 ao Benfica pareceram mesmo o escalar definitivo da montanha. Isso fez com que a equipa se apresentasse em Alvalade demasiado serena. O ‘elan’ era diferente, ou seja, faltou alguma… inquietação! Por exemplo, a forma como Maicon abordou alguns lances é típica de uma equipa que entrou algo relaxada em campo. Foi um FC Porto algo vaidoso da sua condição de líder invencível!
Conclusão: o FC Porto perdeu 2 pontos na luta pelo título, mas saiu de Alvalade com o escudo da invencibilidade intacto, um estímulo extra que lhe vai permitir manter o ego e a auto-estima lá em cima.
Uma última nota para destacarmos as inacreditáveis palavras de Paulo Sérgio no final do jogo: criticou os elogios que o FC Porto recebeu após o jogo de Istambul (venceu 3-1 e terminou o jogo com 9 jogadores), quando a sua equipa não conseguiu criar uma única oportunidade de golo a jogar contra 10 jogadores (durante 25 minutos) em sua própria casa.
Positivo (+):
- o FC Porto saiu de Alvalade invencível e mantém uma distância confortável para o segundo classificado (em 2009/10, à passagem da mesma 12ª jornada, os primeiros classificados, Sp. Braga e Benfica, tinham apenas 3 pontos de vantagem sobre o segundo);
- a determinação que o FC Porto revelou até igualar o jogo (depois do intervalo, estivemos sempre por cima até ficarmos com 10 jogadores);
- a postura da equipa após a expulsão de Maicon (o FC Porto foi capaz de quebrar o ritmo ao jogo e manter a bola sempre longe do raio de acção de Helton);
- o sorteio da Taça confirmou o Natal “gordo” no Dragão, são 3 jogos consecutivos em casa: Vit. Setúbal (Liga), Juventude de Évora (Taça de Portugal) e CSKA Sofia (Liga Europa);
Negativo (-):
- a 1ª parte do FC Porto: durante esse período, a equipa não utilizou nem metade da agressividade e concentração que mostrou no jogo frente ao Benfica;
- Maicon: pelo excesso de confiança que revelou no lance do golo do Sporting (apesar do ‘off-side’ de Valdés) e no lance da sua expulsão (apesar de Liedson ter “cavado” a falta);
- Fernando: esteve desastrado no passe, o que colocou muitas vezes a defesa em apuros;
- talvez se justificasse a aposta de Villas-Boas num ‘4-4-2’, com Ruben Micael a fazer companhia ao trio habitual do meio-campo (é uma análise à posteriori, ou seja, é algo injusta, mas se Varela não estava a 100% e se o madeirense é neste momento o melhor suplente do FC Porto…);

3 comentários:

Diogo disse...

Jogo pobre e quase sem oportunidades de golo. O FCPorto entrou muito mal na partida e deixou o adversário jogar a vontade. Na 2ª parte equilibramos, marcamos e se não fosse a expulsão infantil (mas inexistente, quanto a mim) do Maicon, ganhávamos o jogo. Acho que podiamos e deviamos ter feito melhor, desde o jogo com o Benfica que não fazemos um grande jogo e os adeptos começam a sentir isso mesmo.
Já a arbitragem foi má, enorme dualidade de critérios, golo do Sporting fora de jogo e com mão (braço) de Valdés, agressão do Maniche ao Moutinho que passou em claro, enfim, o normal. O próximo jogo é com o Rapid, e apesar do empate negativo, continuamos completamente invencíveis!


http://eternomagnifico.blogspot.com/

Dragão Azul Forte disse...

Claro que o golo do Sporting foi precedido de uma (pelo menos) irregularidade: Valdés estava em fora-de-jogo. Também não me parece ter havido falta no lance que originou a expulsão de Maicon. Aliás, tenho a certeza; já vi a jogada várias vezes e não encontro motivo para ser considerada a falta. Contudo, Maicon tem de, no futuro, ter mais cuidado nestas situações de jogo. A alta competição não se compadece com erros infantis.

O Porto entrou expectante, com lentidão de processos e sem desenvolver o jogo como sabe. O Sporting aproveitou e, com o posicionamento em campo, surpreendeu na primeira parte.
A segunda parte mostrou um FC Porto mais próximo do que é e, estou convencido, se não fossem as peripécias do jogo, suplantaria o adversário.

PS: e vão 31 sem perder!

Alex disse...

O que me fica deste jogo é: Fernando desastradíssimo no passe e Maicon fica com um aviso sério para o resto da temporada.
Paulo Sérgio de treinador não tem nada. Aposto o que quiserem em como no balneário ele incentivou a caça ao Moutinho. Foi só esse o objectivo dele. O futebol praticado pela equipa dele veio por acréscimo. E depois, declarações de um treinador que leva 13 pontos para o líder e que fala da carreira da outra equipa na UEFA como se nada fosse, demonstram totalmente o caracter fraco e sem nível de um homem que nada de novo levou ao Sporting.

Fica sobretudo a invencibilidade e a boa reacção da equipa à desvantagem.

P.S.: Se o Falcao marca naquele lance no início da partida... não sei não...

Cumps