sábado, 5 de Dezembro de 2009

«Curiosidades FCP» - FC Porto - Barcelona, Taça UEFA 1972/73

Com o FC Porto a defrontar o At. Madrid já na próxima Terça-feira, em jogo da última jornada da fase de grupos da 'Champions', aproveitamos para antecipar esse confronto recordando uma histórica eliminatória da Taça UEFA disputada entre o FC Porto e outra conceituada equipa espanhola, o Barcelona. Os dois clubes encontraram-se pela primeira vez em competições europeias na época 1972/73, tendo o jogo da 1ª mão marcado uma melhores noites europeias de toda a história do antigo Estádio das Antas.
Com a ajuda da imprensa desportiva espanhola, vamos aqui recordar o jogo da 1ª mão da eliminatória, disputada nas Antas, a 20 de Setembro de 1972, que terminou com uma estrondosa vitória do FC Porto sobre o 'Barça', por 3-1.
O sorteio da 1ª eliminatória colocou logo no caminho do FC Porto um dos favoritos a vencer a competição (Liverpool, Borussia de Monchengladbach, Inter de Milão, Tottenham e Dynamo de Dresden eram os outros candidatos a vencer a prova). Para os espanhóis, o jogo frente ao FC Porto marcava o primeiro grande teste para um 'Barça' que liderava a liga espanhola: «el choque de Oporto es un buen test para juzgar las posibilidades del nuevo Barcelona, encaramado en el liderato de la Liga».
Uns dias antes do jogo, jornalistas espanhóis deslocaram-se à Invicta para sentir o pulsar da cidade e dos adeptos antes do jogo frente aos catalães.
Inevitavelmente, as crónicas da imprensa espanhola foram consensuais ao referir que os adeptos se mostravam esperançados após a contratação de Fernando Riera, mas, ao mesmo tempo, descrentes com a equipa depois de vários anos a ver o FC Porto adiar a desejada vitória no campeonato nacional (o jejum do FC Porto durava há 13 épocas): «Oporto va ahora vivir una nueva aventura al mando del conocido entrenador chileno Fernando Riera. Pulsado el ambiente futbolístico de la ciudad, se percibe un cierto conformismo con tintes de fatalismo, porque el equipo no acaba de dar de si lo que tanto esperan sus millares de seguidores», lia-se no 'El Mundo Deportivo' nas vésperas do jogo da 1ª mão.
Assim, não foi surpreendente que os espanhóis se mostrassem moderadamente optimistas com o jogo das Antas: «Un empate no seria mal resultado para el Barcelona con vistas al partido de vuelta del miércoles próximo en el Camp Nou, pero más interessante seria la victoria cuando el Barcelona necesita de nuevos incentivos para mantener alta la moral con vista a los partidos de Liga».
No dia anterior ao jogo, também houve oportunidade para os espanhóis publicarem uma pequena entrevista com os dois treinadores. Para Fernando Riera, o favorito era o Barça, pois além do jogo não chegar num bom momento para o FC Porto (havia empatado com o Barreirense na jornada anterior da liga portuguesa), todos os esforços da equipa estavam concentrados no campeonato português.
O técnico chileno também acabou por revelar à imprensa espanhola - quem sabe, fazendo 'bluff'! - que os dois avançados do FC Porto, Flávio (contratado ao Fluminense, por 2375 contos) e Abel, não estavam a atravessar um bom momento (nota: foram eles os autores dos 4 golos do FC Porto na eliminatória!): «Hombres clave, como Flávio y Abel no han alcanzado su linea de juego habitual. Nos defendemos bien, creamos buenas jugadas de contraataque pero fallamos en el remate. Flávio está bajo de forma y es posible que le haga descansar para tenerio a punto el Domingo» (nota: o FC Porto defrontava o Belenenses 3 dias depois do jogo com o 'Barça'), confessou o chileno na entrevista.
Quanto ao técnico do Barcelona, o holandês Rinus Michels, também reconhecia favoritismo à sua equipa, mas deixava alguns elogios ao FC Porto e ao belo Estádio das Antas: «Reconozco que el Oporto ha empezado mal el campeonato, pero esto no quiere decir nada. Hay equipos que en las eliminatórias de Copa UEFA parecen otro conjunto. El Estádio das Antas? Muy bonito. El terreno de juego está en perfectas condiciones. Creo que podrá realizarse un buen fútbol.»
Apesar de ter ido para o intervalo a perder por 0-1 (golo de Barrios, aos 33 minutos), o FC Porto daria a volta a esse histórico jogo em apenas 4 minutos (golos de Flávio, aos 48', e de Abel, aos 51').
E quinze minutos depois do seu primeiro golo, Abel (formou com Flávio uma das melhores duplas de ataque do FC Porto e do futebol português durante a década de 70) deixava o 'Barça' com uma perigosíssima desvantagem de dois golos na eliminatória, depois de marcar o terceiro golo do FC Porto nessa partida.
Para um dos jornalistas espanhóis que assistiu ao jogo, «el vendaval de Oporto llegó al comenzar el segundo período. Fernando Riera, que movió sus piezas con excesso de cautela en el primer tiempo, parece que en el descanso logró sacudir a su equipo del complejo de inferioridad en que se había visto envuelto. Los dos puntas de lanza, Flávio y Abel, movidos en profundidad por Béné, crearon problemas que la defensa barcelonista no supo resolver. El juego de los brasileños del Oporto quebró a la defensa del Barcelona como en los últimos tiempos no lo había conseguido ningún equipo española. El fútbol en el terreno internacional está lleno de contrastes, y hoy, ante el Oporto, el Barcelona mostró sus defectos y debilidades».
«Sí quedan 90 minutos de juego, pero el Barcelona tendrá que jugar mucho en la vuelta para doblegar a este Oporto que por fin encontró su dia», concluiram os jornalistas espanhóis presentes nas Antas.
Algo surpreendentemente, o recentemente falecido Armando Manhiça foi eleito pelos espanhóis um dos melhores em campo, tendo recebido a nota máxima (5) do jornalista do 'El Mundo Deportivo' que acompanhou o encontro.
Além de Manhiça, também Abel foi considerado um dos melhores portistas em campo (ver notas, de 0 a 5, na ficha técnica, em anexo).
Na sala de imprensa, os dois técnicos apresentavam discursos completamente distintos.O treinador do 'Barça', Rinus Michels, ao mesmo tempo que deixava uma espécie de aviso ao FC Porto para o jogo da 2ª mão, também se mostrava irritado com os seus jogadores: «estoy seguro que los superaremos en nuestro estadio. Sólo hace falta que los jugadores se empleen con más fuerza para evitar nuevas decepciones», enquanto que Fernando Riera colocava alguma moderação na euforia portista: «Insisto en que es la Liga lo que nos interessa. Pero no desaprovecharemos la oportunidad de eliminar al Barcelona si se presenta. De todas formas no me fio, es un gran equipo que simplemente hoy no ha tenido su noche. Pero pienso que podemos seguir adelante en la Copa UEFA.»
No final, a imprensa espanhola também ouviu o eufórico presidente Américo de Sá comentar o que tinha acabado de presenciar no relvado das Antas: «Este es uno de los mayores triunfos del Oporto en su história, comparable al que se anotó hace muchos años ante el Arsenal. La verdad es que no lo esperaba, el equipo no andaba bien y el Barcelona es un club puntero. Ahora he decidido viajar a España para el partido de vuelta, la proeza está a nuestro alcance».
Num próximo 'post', e novamente com a ajuda da imprensa desportiva espanhola, vamos recordar o jogo da 2ª mão, disputada em Camp Nou (em cima, recuperámos o anúncio promocional ao jogo, publicado no 'El Mundo Deportivo'), que confirmou a superioridade do FC Porto sobre os catalães e marcou o nosso acesso à 2ª eliminatória da competição (o FC Porto venceu em Barcelona por 1-0, com um golo de Abel).
Aqui ficam os «onzes» e os marcadores do jogo das Antas (nota: destaque no «onze» do 'Barça' para as presenças de Miguel Reina, pai do actual guarda-redes do Liverpool, Pepe Reina, e de Carlos Rexach, que foi adjunto de Johan Cruyff e chegou a treinador principal do Barça em 2001):
FC Porto: Rui, Gualter, Armando Manhiça, Valdemar, Guedes, Pavão, Celso, Béné, Flávio, Abel (Lemos aos 69') e Malagueta;
Treinador: Fernando Riera
Barcelona: Miguel Reina, Rifé, Gallego, Torres, De la Cruz, Zabalza, Carlos Rexach (Pérez aos 65'), Martí Filosía, Barrios, Juan Manuel Asensi e Marcial Pina;
Treinador: Rinus Michels
Golos: Barrios aos 33', Flávio aos 48', Abel aos 51' e aos 66';

Sem comentários: