domingo, 3 de janeiro de 2010

Cumpriram!

Mais de um mês depois da primeira data agendada para a realização da 4ª eliminatória da Taça de Portugal (uma prova que o FC Porto venceu 5 vezes nos últimos 10 anos), lá se jogou o Oliveirense-FC Porto (0-2).
Após uma primeira inspecção que concluiu que haveria condições para o jogo se realizar num autêntico pasto, os dirigentes da FPF lá se decidiram por efectuar uma nova vistoria e abandonar a ideia de realizar o jogo em Oliveira de Azeméis. Para toda esta indefinição muito contribuíram os caprichos do presidente da Oliveirense, que fez toda a gente perder tempo mas lá teve direito ao seu tempo de antena.
No FC Porto, o que nos está a deixar intrigados são as conferências de imprensa que antecedem os jogos, pois já não é a primeira vez que Jesualdo Ferreira se mostra irritado e aproveita para dar alguns recados para dentro do balneário (na conferência de imprensa que antecedeu o jogo de Guimarães também deixou uma série de avisos ao grupo). Será que o Professor sente os «tetracampeões» acomodados e "cansados" de vencer?
Hoje, além da natural expectativa de ver o FC Porto seguir em frente na Taça, havia outras curiosidades: - ver a atitude da equipa depois da postura menos combativa no jogo da Luz; - confirmar os progressos e a motivação de alguns jogadores menos utilizados; - ver se Jesualdo voltava a insistir num médio-interior direito com força e músculo (Guarín, Mariano Gonzalez ou Tomás Costa) ou se optava pela lucidez e criatividade (Belluschi ou Valeri); - e confirmar se, com estes intérpretes, haveria alguma inovação táctica;
O Professor não surpreendeu, jogou em '4-3-3' e colocou em campo os onze melhores jogadores do FC Porto disponíveis para este jogo (até cometeu a ousadia de deixar no banco Guarín e Mariano Gonzalez!). Jogando com os melhores e mais capazes, Jesualdo vê o FC Porto ser bem mais lúcido e profundo, principalmente quando ataca.
Apesar do primeiro golo só ter surgido muito perto do intervalo, o FC Porto teve sempre o jogo controlado. A equipa entrou em campo determinada a ganhar vantagem e respeitou sempre o seu adversário. Depois do golo, foi só esperar que a Oliveirense perdesse fulgor físico para acabar com a eliminatória.
Agora, falta dar tempo de jogo a Valeri e esperar que o argentino seja, juntamente com Belluschi, um complemento efectivo à dupla Fernando-Raul Meireles, isto pressupondo que o Professor vai continuar a privilegiar o '4-3-3'.
Positivo (+):
- a primeira-parte do FC Porto;
- a intensidade e vertigem de Cristian Rodriguez;
- Raul Meireles, por ter sido decisivo nos dois golos;
- a dedicação de Belluschi na recuperação da bola (o argentino vai mesmo ter que se adaptar à posição de médio-interior direito e esquecer que é um típico nº 10);
Negativo (-):
- o baixo ritmo que o FC Porto imprimiu na segunda-parte;
- as ainda insuficientes rotinas e condição física de Orlando Sá (até fez um jogo esforçado);

2 comentários:

Dragaopentacampeao disse...

Mais uma exibição miserável frente a um adversário frágil até dizer chega!

Nesta altura da época era suposto a equipa ter outra desenvoltura e apresentar um futebol prático, eficaz e até vistoso, face à qualidade dos atletas e ao orçamento envolvido.

As condições do relvado do Municipal de Águeda ou as férias de Natal não podem servir de desculpas para a reincidência dos erros que continuam a perturbar o rendimento dos atletas, quaisquer que sejam os jogadores utilizados.

Desta vez não estiveram o Hulk ou o Guarín, habituais bodes expiatórios para justificarem as más exibições.

Começa a ser incomodativa a incapacidade de Jesualdo para por a equipa a praticar o futebol a que estamos habituados.

Temos de melhorar muito, mas mesmo muito para alimentarmos ambições.

Um abraço

lobos do mar disse...

Boa tarde pessoal,o meu blogue chama-se lobos do Mar (VARZIM SPORT CLUB) e queria colocar todos os blogues da liga sagres no meu blog, se aceitarem colocar o nosso link no vosso blog faremos o mesmo no "Lobos do Mar"
www.adeptosdovarzim.blogspot.com

Aguardamos Resposta

Saudações