sábado, 30 de janeiro de 2010

Fosse sempre assim...

Depois do comprometedor empate (1-1) frente ao Paços de Ferreira, não era difícil concluir que o FC Porto tinha ficado sem margem para perder mais pontos na Liga. Se à distância de 6 pontos, que nos separava dos dois primeiros, juntássemos o mau futebol que a equipa tem praticado, chegávamos à conclusão que a visita à Choupana poderia trazer um adeus definitivo ao sonho do ‘Penta’.
No entanto, Rúben Micael veio "estragar" os planos de toda a gente ao resgatar o futebol do FC Porto da vulgaridade. Bastaram dois jogos para confirmar que o médio madeirense é de facto um grande jogador. Não deixa de ser irónico que apenas um jogador possa oferecer tanto (alegria, objectividade, clarividência,...), e em tão pouco tempo, a uma equipa. Já nos convenceu!
Agora, com o seu jogo de meio-campo muito mais harmonioso, vamos lá ver se o FC Porto consegue encurtar a distância para os dois primeiros de forma a manter o sonho do ‘Penta’ até ao fim (pelo menos até ao FC Porto-Benfica, da penúltima jornada da Liga). Mesmo sem convencer (hoje não foi o caso!), é isso que se espera dos «tetracampeões». Por agora, o FC Porto mantém a ilusão!
Hoje, mesmo frente a um Nacional que não está tão forte como em épocas anteriores, o FC Porto teve momentos brilhantes no jogo. A chegada de Rúben Micael veio permitir que a equipa diversificasse a sua forma de atacar. Agora, ao pontapé para a frente deu lugar o futebol linear e de 'bola no pé' das formiguinhas do meio-campo do FC Porto (Belluschi e Rúben Micael).
Fica um desejo para o jogo frente ao Sporting: com o castigo de Hulk e a lesão de Cristian Rodriguez, seria interessante ver o Professor inovar e apresentar um meio-campo com Fernando, Raúl Meireles, Belluschi e Rúben Micael.
Agora, segue-se um mês de Fevereiro cheio para o FC Porto. Contudo, dos 7 jogos a realizar durante esse período, 5 serão no Dragão e apenas 2 fora de casa, sendo que um deles, frente ao Leixões, se disputa em Matosinhos, ou seja, durante o frenético mês de Fevereiro, o FC Porto só abandona a cidade Invicta no último dia do mês, para disputar o clássico frente ao Sporting, em Alvalade. Sendo assim, ficamos por casa até ao próximo dia 28!
Positivo (+)
- pelos golos: Falcão e Varela;
- a classe, personalidade e humildade de Rúben Micael;
- o exuberante momento físico de Álvaro Pereira;
- o segundo golo do FC Porto (brilhante combinação de futebol colectivo);
- a postura do FC Porto, que mesmo a vencer por dois golos de diferença nunca deixou o seu adversário aproximar-se da baliza de Helton;
Negativo (-):
- a sobranceria de Fucile, que poderia ter custado uma grande-penalidade quando o resultado ainda estava em 0-0;

3 comentários:

Anónimo disse...

Meus caros amigos boa noite:

Finalmente vemos o nosso PORTO vencer um jogo de forma imperial á PORTO. Não dando folga. Estava eu a ver os nossos herois do hoquei a ganhar 5-2 á fisica de Torres e fui-me deleitando com o desenrolar desyes dois jogos. E é tão espactacular ser o UNICO PORTISTA assumido de cachecol no meio daquela gente de Torres Vedras. Eles bem rejubilaram com o 2-0 da Fisica mas depois os nossos herois demosntraram a raça de que é feito um DRAGÃO e até aos cinco foi sempre a abrir. Grande PORTO.

Força PORTO Unidos venceremos

Armando Pinto disse...

No futebol: Grande jogo, que tem de ser da arrancada... carago!
No hóquei vitória natural, no andebol surpresa, mas de certeza que foi uma excepção que depressa voltará ao normal. Já no basquete... Arrumamos mesmo, deitamos fora da carroça da taça Hugo dos Santos em questão, os mouros!

Dragaopentacampeao disse...

Rúben assumiu-se como o maestro que faltava a esta equipa. Aquele passe a rasgar, para o quarto golo, é um hino ao futebol.

Espero que o FC Porto arranque definitivamente para um período vitorioso até final.

Para tal, necessita melhorar a qualidade de passe. Hoje contei 36 passes errados! E não foi das piores performances.

Um abraço