quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

A sempre exigente (e por vezes cruel!) ‘Champions’


Não tem sido fácil para os atentos e dedicados adeptos do FC Porto mudarem o ‘chip’ depois da derrota na Taça de Portugal. Quatro dias depois da gaffe de Vítor Pereira em Braga continuamos a não compreender as razões que levaram o treinador do FC Porto a menosprezar o adversário e a competição (algo inédito no FC Porto, pelo menos na Taça de Portugal). E já ouvimos e lemos várias opiniões (do desgaste físico às dificuldades financeiras) e nenhuma nos convenceu! Aliás, causa-nos algum desconforto a forma despreocupada como o treinador do FC Porto avaliou a nossa eliminação da prova. Ficámos com a sensação que o jogo de Braga foi visto como uma espécie de fardo. E também não compreendemos a tolerância que alguns portistas mostraram com a estrutura e o treinador do FC Porto (não sabemos de quem partiu a ousadia da “poupança”!) depois da derrota com o Sp. Braga. Para nós contínua a ser incompreensível a deficiente gestão que Vítor Pereira promoveu nesse jogo. 

Agora o jogo de ontem. Tivemos o FC Porto que esperávamos encontrar em Paris, uma equipa personalizada. Só foi pena que essa personalidade tenha sido manchada por alguns erros individuais (depois da infelicidade de Danilo em Braga, o ‘frango’ de Helton em Paris). A ‘Champions’ consegue ser cruel!  
Mas o FC Porto cumpriu a sua obrigação: estamos entre os 16 melhores da Europa. Como tem por hábito dizer Pinto da Costa, o importante é estar presente no sorteio. E não é assim tão dramático ficar no segundo lugar do grupo. Em nossa opinião, apenas o Barcelona e o Bayern de Munique serão, neste momento, quase inalcançáveis. Todos os outros serão bem-vindos!

2 comentários:

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Quando se joga para o empate, como penso que o FC Porto jogou, face às diferentes atitudes adoptadas, antes e depois de estar a perder, pelas duas vezes, arrisca-se a perder.

Essa máxima voltou a funcionar em pleno.

Efectivamente, os Dragões só mostraram o que valem nessa situação, o que convenhamos, não é a atitude certa para quem tem ambições europeias. Isso mais um conjunto de erros primários e fatais, que em alta competição se pagam caras ditaram a merecida derrota.

Esta equipa tem que ser mais consistente se quer continuar na prova. Eu acho que não está ainda suficientemente madura para ambicionar voos mais altos, qualquer que seja o próximo adversário.

Um abraço

alex disse...

Oferecer golos ao adversário é a sina do FCP: Bruno Alves ao Manchester, Guarin ao Barcelona, Alváro Pereira e Rolando ao Manchester City, Danilo ao Braga, Helton ao PSG, sempre com graves consequências!
Bem vistas as coisas, quer em Braga, quer em Paris, o FCP só ficou em maus lençóis após os falhanços clamorosos de dois dos seus melhores atletas...
A imprensa vermelha, que é quase toda, está a aproveitar estes desaires para tentar desestabilizar o treinador do FCP. Não é de modo nenhum aconselhável que os portista também dêem uma achega. Não sou nem de longe nem de perto um fan do Vitor Pereira, mas não nos esqueçamos que Vitor Pereira foi uma solução de emergência, foi um risco que poderia ter tido consquências muito desastroças, mas feitas as contas, o saldo é bastante razoável!
Saudaçõers portistas!