sábado, 4 de julho de 2009

"Empurrado" do FC Porto!

Não me conformo! Bem sei que ninguém é indispensável, mas há alguns menos dispensáveis do que outros. Lucho era um deles!
É claro que o FC Porto vai continuar a vencer, e a saída de 'El Comandante' até vai permitir que, no seu lugar, surjam outros tão ou mais importantes (foi assim no passado). O que não se entende são os critérios e o 'timing' da transferência.
Estes lamentos não têm tanto a ver com o valor do jogador (Deco e Anderson, por exemplo, eram bem mais decisivos e também deixaram o FC Porto), mas mais com o que Lucho representava. Ele já era uma referência do FC Porto do séc. XXI. Jogador altruísta, ambicioso, solidário e, mais importante que tudo, que convivia mal com as derrotas, ou seja, era a extensão perfeita, em campo, da massa associativa e dos adeptos do FC Porto. Por algum motivo Jesualdo o considerava um jogador especial!
Sejamos realistas, Lucho foi vendido porque o FC Porto necessita (com alguma urgência!) de liquidez. Noutras circunstâncias (com as vendas de Cissokho e Lisandro concretizadas), 'El Comandante' teria permanecido no Dragão. Se Bruno Alves e Lisandro estão a ser muito cobiçados (e as transferências de ambos eram dadas quase como certas), para quê vender Lucho? Chegamos à conclusão que não foi aplicado qualquer critério da SAD do FC Porto na transacção do jogador. Qual gestão desportiva, qual quê! Saiu Lucho como poderia ter saído outro qualquer. Não houve qualquer planeamento, estamos à mercê do mercado!
Comprar, oferecer bons salários e boas condições, e realizar mais-valias (apesar da mais-valia realizada com a venda de Lucho ter sido irrisória, pois o jogador custou 11 milhões de euros e foram-lhe pagos 4 anos de vencimento), é esta a política do FC Porto. Mas atenção, é uma política legítima e defensável num clube ganhador.
Agora, também é preciso ter consciência que o FC Porto deixou sair um vencedor. Duvidamos que Lucho esteja feliz por ir representar o Marselha. Aliás, a sua postura, depois de confirmada a transferência, é bem reveladora do seu estado de espírito. Foi um Lucho circunspecto e quase indiferente aquele que recebeu a notícia a confirmar a sua saída. Fica a sensação que 'El Comandante' foi "empurrado" do FC Porto.
Julgo que não será surpreendente se não vier a ser feliz em Marselha (espero estar enganado!). Lucho é daquele tipo de jogadores que, pelo seu carácter e personalidade, "pede" um clube estável, ambicioso e ganhador. Gostariamos de o ver num clube que pudesse potenciar as suas características (o Manchester ou o Barcelona seriam perfeitos), não apenas dentro de campo, porque Lucho é mais do que uma peça do «onze», mas também na cumplicidade com treinadores, companheiros e adeptos.
Custa-me vê-lo sair do FC Porto por um valor (18 milhões de euros) idêntico ao que o FC Porto arrecadou com a venda de Ricardo Quaresma, um jogador egocêntrico e que pouco tinha que o identificasse com o FC Porto.
Hoje, enviou-nos uma mensagem de despedida: "Foram quatro anos inesquecíveis para mim. É algo que ainda não me dou conta, mas com o decorrer do tempo de certeza que vou ter muitas saudades de estar aqui."
No futuro, não vai ser nada fácil encontrar um jogador estrangeiro que revele a mesma compatibilidade com os genes do FC Porto que Lucho Gonzalez revelava.
É claro que isto não vai lá com 'posts' ou petições. Só nos resta lamentar a saída de 'El Comandante'. Obrigado e boa sorte!

7 comentários:

Armando Pinto disse...

Também estou desanimado com isto e com o que se fala que ainda poderá acontecer, às saídas/vendas propaladas. Só desejo que não suceda outra debandada como em 2004... Agora é preciso calma, pois ainda confio que o Pinto da Costa deve continuar a saber o que faz. Tudo vai depender das alternativas, de quem irá colmatar estes vazios...
Um abraço do
A.P.

Anónimo disse...

Concordo com a analise do Ricardo, não há critério desportivo o primeiro que der mais, sai.

dragao vila pouca disse...

Foi sim senhor, o F.C.Porto pediu ao Marselha para contratar o Lucho, ao Deschamps para falar com o argentino, falar-lhe do projecto dos franceses e depois, a SAD toda em conjunto, atirou-se ao El Comandante e começou a chutá-lo pela porta fora. Foi assim não foi ó Vara?

Anónimo disse...

Não foi assim mas foi quase! Só não o chutaram pela porta fora, preferiram levá-lo ao Aeroporto!

AG disse...

Olha os talibans. Só os gajos é que são portistas.

Anónimo disse...

Afinal o Lisandro também vai... mesmo. O Ricardo tinha razão. Lá se foi a boa disposição das notícias de entradas de Bellushi e Cª. Porque andou estes últimos dias o Presidente a dizer que não saía mais ninguém...? Esperemos que venha aí um bom avançado, que bem preciso será...!

El Comandante disse...

Este Vila Pouca é um trauliteiro de primeira. Sem cultura democrática. Ou é como ele pensa ou então não somos portistas!