domingo, 1 de agosto de 2010

«Curiosidades FCP» - O mítico Sousa Santos

Em vésperas do início de mais uma edição da Volta a Portugal em Bicicleta, o 'Paixão pelo Porto' recorda aqui o que foi escrito na saudosa revista «Ídolos do Desporto» (edição de Agosto de 1956) sobre um dos nossos históricos ciclistas: Sousa Santos.
Com este 'post', além de chamarmos a atenção para a tradição que continuamos a manter no Ciclismo, aproveitamos também para desejar um rápido regresso do FC Porto a esta histórica modalidade.
«Joaquim Sousa Santos nasceu em S. João de Vêr, a 24 de Setembro de 1930. Desde pequeno que o garoto sonhava com uma bicicleta como a do padrinho, que era também seu irmão Manuel dos Santos, que lhe construiu uma bicicleta. Não se poupando a trabalhos nem a esforços, colocou o garoto sobre o quadro e zás! O Quim lá foi! A minúscula bicicleta rodou com o miúdo agarrado ao guiador, em pânico, até que se "espetou" contra um muro! Joaquim Sousa Santos, com pouco mais de quatro anos de existência neste mundo atribulado, não ficou a chorar, apesar do susto, choque e... arranhaduras!
Era imensa a sua alegria por ter uma bicicleta. Era pequenina, mesmo feita para a sua idade, e apenas com duas rodas. Era igual à do irmão e padrinho, que corria numa bicicleta a sério vestindo a camisola do FC Porto, e que na altura soltou uma gargalhada, dado que nada melhor do que uns trambolhões para começar. Veio a escola, o trabalho, mas a bicicleta ficou como a sua grande paixão. Filho de uma pobre família, cedo aprendeu um ofício - sapateiro, e muito se sacrificou para poder realizar o seu sonho de ter uma bicicleta como a do padrinho, pois ganhava 20$ por semana. Nas estradas, sempre que passavam ciclistas, ficava parado a olhar e... a desejar seguir-lhes o exemplo, mas não havia dinheiro...
Sousa Santos começou a apertar o cinto dia a dia e dos escassos 20$ retirava 5$ ou 6$ sempre que podia, muitas vezes comia só a tradicional "broa" nortenha. Com muito sacrifício juntou 700$ e surgiu a possibilidade de comprar uma máquina, mas faltavam 100$, que o padrinho Manuel dos Santos lhe emprestou.
Estava-se em 1950. Sousa Santos, com "sangue na guelra", sentia-se "em forma". A sua "pasteleira", com guiador de bicicleta de corrida, "voava" pelas ruas de S. João de Vêr. Um dia pedalava despreocupado quando lhe surgiram, numa curva, Joaquim Costa, Aniceto Bruno, Onofre Tavares e Amândio de Almeida, ciclistas da equipa do FC Porto, em treino. Sousa Santos era conhecido de Joaquim Costa, e este conversou com ele enquanto pedalavam os cinco. Já em bom ritmo, a certa altura, Sousa Santos ouviu Aniceto dizer: - Larga lá o "pato bravo". Toca a andar.... Mas o "pato bravo" encheu-se de brio e acompanhou os "ases" do FC Porto, apesar de várias tentativas para o deixarem para trás. Foi mesmo ali e naquele dia que Aniceto Bruno convidou Sousa Santos a ingressar no FC Porto. Assinou contrato no dia seguinte, passando a ser corredor profissional, e a partir daí começou a preparar-se melhor. A sua alimentação era agora mais cuidada e rica, e passou a ter bom material e horas para treino».
Sousa Santos, ao longo da sua carreira, tanto a nível nacional como internacional (Volta a Marrocos, 3 participações na Volta a Espanha,...), venceu várias provas e etapas, destacando-se:
2º classificado na Volta a Portugal de 1955
2º classificado na Volta a Portugal de 1957
Vencedor da Clássica Porto - Lisboa em 1957
Em cima, vemos o ex-corredor do FC Porto no Estádio do Lima, na recepção que lhe foi prestada após o seu 2º lugar na Volta a Portugal de 1955 (2ª foto), e, na última foto, junto a dois outros míticos ciclistas do FC Porto: Sousa Cardoso e Carlos de Carvalho.

13 comentários:

R.M.Silva da Costa disse...

Um corpo de "cinco reis de gente", mas uma valentia muito para além do que o corpo lhe permitia.
O Sousa Santos, meu Deus!!

Armando Pinto disse...

Grande recordação. Como apreciador de documentação memorial do F C Porto, e entusiasta do ciclismo portista, que corria tudo e passava a todas as terras, este artigo tocou-me particularmente.Não conhecia estas fotos, não tendo esse livro, portanto, apesar de ter muitos, logo gostei mesmo. Continua.
Também a propósito da Volta a Portugal que se aproxima, espero por estes dias pôr no meu bloguezito umas fotos das vitórias na Volta de Fernando Moreira e Dias dos Santos, da antiga revista Stadium...

Abraço

http://www.longara.blogspot.com/

Anónimo disse...

Obrigado e muitos parabéns pela efeméride! Assim, sim! É falar... FC Porto.


Boa oportunidade para (aqui) se ter feito uma reflexão sobre a extinção da modalidade no nosso Clube.

E já agora, lembrar em que ano sucedeu e, consequentemente, em que mandato presidencial!

De forma inteligente, coerente e sem paixão...

Suceder-se-ia, depois, o hóquei campo e o voleibol; e o andebol esteve quase quase... para já!

No hóquei patins... Deus guarde o Senhor ILIDIO PINTO!

E no Basquetebol este ano será... decisivo; estejam atentos!

Dragão Azul Forte disse...

Sousa Santos tinha um estilo elegante e inconfundível. A foto no Estádio do Lima é demonstrativa.
Também fui sempre um grande apreciador do ciclismo e vibrei com as vitórias do FC Porto no fim dos anos 50 e nos anos 60. O ciclismo foi uma das modalidades que mais adeptos conquistou para o nosso Clube.
Acresce que tenho o nome do grande campeão Fernando Moreira, o primeiro a conquistar uma Volta a Portugal para o FC Porto. Para se fazer uma ideia do prestígio e da áurea que cobria o ídolo portista, basta dizer que, ainda nos anos 70, havia pessoas que ao saberem do meu nome diziam: “não é o Fernando Moreira da Volta a Portugal, pois não?” Que orgulho eu sentia! Estava em causa um nome GRANDE do FC Porto!
Por isto tudo estou com uma ansiedade (quase incontida) de ver e apreciar (como sempre) mais um belo trabalho memorativo desse admirável e grande portista o amigo Armando Pinto. Fico à espera que o Buzz avise.
Parabéns ao Ricardo Vara por este belo post e um abraço para ele e para o Armando Pinto.

Anónimo disse...

O Fernando Moreira(o autêntico...) reside em Moreira da Maia, depois de ter regressado, nos anos 80, de uma longa emigração na Venezuela!

Como o amigo "Dragão Azul Forte" tbm estamos na expectativa do que dirá o não menos amigo Armando Pinto, grande portista como todos nós, os verdadeiros.

Mas... desapaixonadamente e sem qualquer tipo de "defesa" a quem foi o verdadeiro (e principal) responsável pela sua extinção.

Do ciclismo e não só...

Aguardamos...

Dragão Azul Forte disse...

Caro Anónimo das 11:10:
Este Fernando Moreira (Dragão Azul Forte) agradece as suas palavras e gostaria de lhe perguntar se conhece a data de nascimento do Fernando Moreira (o Campeão!). Sei que nasceu em Sobrado, Valongo, e que ingressou no FC Porto em 1946. Já agora: como está de saúde o nosso GRANDE CAMPEÂO?
...E passaram 50 anos, 60 anos da vitória na Volta a Portugal... e ninguém se prestou a homenagear Fernando Moreira. Triste esquecimento, imperdoável ignorância do clube.
Um abraço.

Armando Pinto disse...

Relativamente à promessa, já coloquei no meu bloguezito o artigo sobre a participação portista na Volta a Portugal em bicicleta…
Abraço
http://longara.blogspot.com/

Manuel Silva disse...

Parabéns pelo teu blog deste-me a conhecer coisas sobre o nosso grande F.C.Porto que desconhecia. Gostava de ver o Porto de novo no ciclismo.

Anónimo disse...

«... em 1983 uma atitude dum apunhalar pelas costas perpetrado «pela equipa da "Mako-Jeans", quando os seus responsáveis desportivos resolveram contratar a equipa completa do FCP, que vinha dominando o ciclismo. Ora, o F C P reagiu e pediu à Federação de Ciclismo para alterar os regulamentos, de forma a que mais nenhuma equipa ficasse vulnerável a um ataque desta natureza. Mas… claro que a FPC não alterou coisa nenhuma, pois os nossos eternos rivais ficaram todos felizes já que o FCP ficava sem as suas vedetas e praticamente impossibilitado de constituir uma equipa minimamente competitiva...»


Disse o nosso amigo Armando Pinto no seu (dele) blog).

Foi uma boa "desculpa"; quantas polémicas e injustiças nos pregaram ao longo da história do Clube no... futebol.

Já imaginou o amigo Armando Pinto se tinham extinto o nosso futebol na sequência dos... "túneis"; como aquando do caso... "calabote"?

Faltou, foi-lhe, tbm reflectir a coincidencia da data da extinção da modalidade (1983) qdo o Clube passou a ser gerido (presidido) pelo actual senhor presidente.

Seguir-se-ia o Hóquei Campo, o Voleibol e quase quase o Andebol.

Começava a futebolização de um Clube até aí ecléctico com imensos titulos naquelas modalidades.

E num futuro (breve...) veremos o resto.

Parabéns pela excelente ilustração!

Anónimo disse...

Este comentário anterior teria sido mais próprio para o blog do sr. Armando Pinto. Como veio para este, pergunto também neste:
Mas o ciclismo no FCP não tinha já tido outras anteriores paralizações, como as referidas no excelente post de Armando Pinto e sobretudo a outra de 1975? ainda no tempo de Américo Sá?

Anónimo disse...

Amigo Anónimo das 21,47:


Há paralizações e há... extinções.

Foi o caso de 1983.

Passaram-se já... 27 anos (o tempo em que reina o actual presidente do Clube).

Coincidência não é? Muito triste coincidência!!!


PS.:

O "Dragão Azul e Branco", adepto do Fernando Moreira (vencedor em 1948 da Volta) pode saber dele por intermédio do Snr. Onofre Tavares (outra nossa grande glória nessa modalidade do ciclismo).

Encontra-o diáriamente (ou quase) na´Brasileira´(em frente ao Teatro Sa da Bandeira,entre as 4 e as 5h.

Anónimo disse...

Tinha sim. Tinha tido outras (breves) paralizações.


Mas esta já dura desde... 1983, coincidentemente (ou não) desde o "reinado" do actual presidente!

É só fazer contas e "apelar" para os armando pintos reflectirem...

Seguiu-se-lhe (ao ciclismo) o hóquei campo e o voleibol...

O que se seguirá? O futebol não é porque dá de "comer"... a mto boa gente.

Fazemo-nos entender???

Anónimo disse...

O ciclista da Maia é o Moreira de Sá, mais novo uns anos.