quinta-feira, 13 de novembro de 2008

O «cromo do dia» - Celso

Celso Dias dos Santos, ou Celso Gavião, como foi apelidado por um jornalista brasileiro devido à sua forma de correr, nasceu a 28 de Fevereiro de 1956 em Santos (Brasil).
Este antigo defesa central do FC Porto ficou ligado, juntamente com Branco e Geraldão, ao rol de excelentes marcadores de livres directos que representaram o FC Porto durante a década de 80 e início dos anos 90.
Celso chegou ao FC Porto na época 1985/86, vindo do Bahia, e ganhou a titularidade no centro da defesa do FC Porto depois da grave lesão de Eurico, que fracturou a perna na 1ª jornada do campeonato nacional dessa época num lance com o benfiquista Nunes. Ainda hoje permanecem na memória de muitos portistas as parcerias de Celso, no eixo da defesa do FC Porto, com Eurico e Lima Pereira, e mais tarde com Geraldão. Defesa central sóbrio e discreto, Celso será sempre recordado pela potência que colocava na marcação de livres directos. Apesar de ter marcado vários golos durante a sua estadia nas Antas, houve pelo menos dois que marcaram a sua passagem pelo FC Porto: frente ao Sporting e frente ao Dinamo de Kiev. Celso marcou ao Sporting num clássico disputado em 1985/86. O FC Porto venceu em Alvalade por 1-0 na sequência de uma «bomba» do central brasileiro a mais de 30 metros da baliza de Vital.
O outro momento alto da sua passagem pelo FC Porto ocorreu na 2ª mão da célebre eliminatória frente ao Dinamo de Kiev em 1986/87. Logo aos 4 minutos, Celso bateu o livre do qual resultou o primeiro golo do FC Porto nessa partida. No passado, já tinha ficado ligado a outro momento importante da sua carreira quando marcou o golo que garantiu o título do Ferroviário, num jogo frente ao Ceará, no campeonato brasileiro de 1979. Celso iniciou a carreira profissional em 1975, defendendo as cores do Botafogo. Em 1978 chegou ao Fortaleza mas foi ao serviço de outro clube do Ceará, o Ferroviário, que se sagrou campeão cearense. Em 1980 chegou a um histórico do futebol brasileiro, o Vasco da Gama (na foto), onde permaneceu até 1983. Antes de chegar ao FC Porto ainda representou mais 3 clubes brasileiros: o Atlético Paranaense, o Santa Cruz e o Bahia. No FC Porto foi bicampeão nacional, campeão da Europa e vencedor da Taça Intercontinental. Depois de deixar as Antas regressou ao Brasil para representar o Goiás, tendo depois retornado ao Ferroviário, onde terminou a carreira. Actualmente, Celso é técnico principal, tendo já orientado vários clubes brasileiros de menor dimensão.

2 comentários:

Rogério Paulo Almeida disse...

Na primeira jornada dessa temporada de 1985-86, a primeira de Celso no F. C. Porto, este já foi titular no centro da defesa ao lado de Eurico. Vencemos o Benfica por 2-0 e a equipa alinhou com: Zé Beto; João Pinto, Eurico (20´Lima Pereira), Celso e Laureta; Semedo, André, Frasco; Gomes, Futre e Juary (75´Vermelhinho). Marcaram Juary aos 3´e Gomes aos 77´.

Nos meus registos consta que Celso jogava no Vasco da Gama antes de ingressar no F. C. Porto.

Anónimo disse...

Lembram-se do Luis Roberto (final dos anos 50, princípios dos anos 60) e de Ivan (pincípios dos anos 60)?

Que tal uma letinhas a eles dedicadas?

Foram dois defesas-médios brasileiros de grande categoria que passaram pelo FC Porto.

A par do Jaburú, do Gastão, do osvaldo Silva, do Romei Gibim, do Humaitá, do Amauri, etc., etc..

Valia a pena...