segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

«Curiosidades FCP» - A carreira do Ademir

Hoje recordamos a carreira de um jogador que marcou um dos golos mais importantes da história do FC Porto: aquele que valeu o empate no clássico frente ao Benfica, em 1977/78. Esse será, muito provavelmente, o golo mais célebre da década de 70 do futebol português. O seu marcador, o brasileiro Ademir, chegou ao FC Porto em 1975/76, vindo do Olhanense. «Chegar ao FC Porto foi normal, pois eu fazia bom jogos e várias equipas mostraram interesse por mim. Clubes como o Benfica, o Vitória de Guimarães e o Sporting, mas o que me ofereceu melhores condições foi o FC Porto. Fui para as Antas ganhar 22.500$00 por mês, o que para a época era um ordenado razoável, mas não era nenhuma fortuna comparado ao que se ganha hoje no futebol.
Na altura dava para viver bem, mas tinha de se poupar um ano para investir num apartamento, coisa que eles hoje compram num mês. No primeiro ano no FC Porto ganhámos a Taça de Portugal, e no seguinte o Campeonato. No último jogo com o Benfica, em que bastava um empate, foi 1-1 e eu marquei o golo», confessou Ademir numa das últimas entrevistas que concedeu à imprensa portuguesa. Este brasileiro era um ‘clássico nº 10’ e foi fundamental no regresso do FC Porto à conquista do título, em 1977/78. Apesar de Ademir ser ‘o homem do último passe’ (era a principal “muleta” de Fernando Gomes e António Oliveira) acabou por marcar 12 golos nessa edição do campeonato. Aliás, foi precisamente num desses jogos que o brasileiro despertou o interesse dos responsáveis do Celta de Vigo.
«Também foi daquelas coisas que acontecem. O Celta estava interessado no Chico Gordo que jogava no Sp. Braga, e só não foi o Chico porque no jogo seguinte foram ver o FC Porto - Sp. Braga nas Antas, e como eu fiz um grande jogo, o treinador do Celta disse que já não queria o ‘10’ do Sp. Braga, mas sim o ‘8’ do FC Porto. Terminado o jogo estava lá um emissário espanhol para falar comigo, apresentando as condições. No dia seguinte estava a fazer exames médicos na Corunha. Fiquei lá cinco anos.»
Em cima, recuperámos 4 fotos que retratam a passagem de Ademir pelos 3 principais clubes que representou na sua carreira: Olhanense, FC Porto e Celta de Vigo.

3 comentários:

Silvestre disse...

Boa tarde

Grande recordação, começava nesta altura a perceber um pouco melhor o futebol e esta paixão ao FCP. Lembro-me desse golo (somente pela radio) na antepenúltima jornada, após este jogo com os vermelhos ainda fomos empatar parece-me em Coimbra e depois festejámos o título na última jornada com uma goleada ao Braga por 4/0.
Era no tempo que imagens nem vê-las. Só há poucos meses deparei-me com umas breves imagens no you tube a preto e branco deste golo.

Armando Pinto disse...

Desse golo e peripécias relacionadas, o que vale é que na época foram publicados alguns livros historiadores sobre o título nacional de 77/78 - muito mais e melhores do que os poucos que têm aparecido nos últimos anos - senão nem havia nada a registar o facto...
Esse foi um golo histórico, inesquecível, de importante relevo para a afirmação Portista!
Abraço.

JOSÉ disse...

Foi um golo que fez chorar toda uma região. Eu estava nas Antas, lembro-me como se fosse hoje. Grande alegria. acabara-se o jejum.
Saudações Portistas