domingo, 4 de novembro de 2012

O campeão zangou-se, saiam da frente!


O primeiro de dois jogos consecutivos no Dragão para o campeonato foi cumprido com distinção. Exibição cheia e contínua. E logo num jogo em que Vítor Pereira foi obrigado a fazer 3 substituições por lesão. É obra!
Perante o ‘europeu Marítimo’, o FC Porto conseguiu deixar claro que a proximidade da ‘Champions’ não fez deste jogo do campeonato um fardo. E ficamos satisfeitos que assim seja, pois a Liga portuguesa deve continuar a ser a grande prioridade do FC Porto para 2012/13. 
Ontem ficámos novamente com a sensação que o FC Porto 2012/13 tem mais possibilidades de elevar a qualidade do seu jogo quando defronta equipas que querem jogar e dividir o jogo. E esta era uma partida que se previa difícil para o FC Porto frente a um Marítimo que nunca se amedronta quando defronta adversários mais cotados (os recentes jogos da Liga Europa com Newcastle e Bordéus confirmaram-no), tirando ao mesmo tempo partido dos jogadores rápidos e criativos que possui no ataque.
A equipa de Pedro Martins joga um futebol positivo. Nesse sentido, o próximo jogo frente à Académica pode ser mais difícil de desbloquear para o FC Porto.
Mas ontem o Marítimo defrontou um FC Porto muito motivado. Um rolo compressor! Até é legítimo criticar Vítor Pereira por nem sempre conseguir que a equipa dê espectáculo, não podemos é censurá-lo por termos um «onze» desequilibrado e capaz do melhor e do pior. O FC Porto é coeso e compacto. Dificilmente assistiremos a algum tipo de hecatombe, pois continua a ser extremamente difícil marcarem-nos golos. Este FC Porto tem uma identidade e um modelo (quer ser sempre dominador e nunca joga em função do adversário). Isso é essencial. O resto fica entregue à inspiração, que ontem jorrou a rodos! Mas o mais importante a reter é que o FC Porto continua sem ceder a posição num interessante ‘ombro-a-ombro’ com o Benfica neste primeiro terço de campeonato. Sem vacilar!

1 comentário:

alex disse...

No seu artigo de hoje, no jornal A Bola, Miguel Sousa Tavares, fala nas alegrias que o FCP, há quarenta anos, nos tem dado, a nós, portistas.
Há 40 anos é desde 1972. Fui ver ao Google o que é que havia de especial em 1972 e encontrei este blog que é um autêntico hino ao FCP e um grande manancial de informação sobre este clube que cada vez mais se vai tornando ímpar em Portugal e uma grande potência futebolística europeia e mundial.
Saudações portistas!