terça-feira, 15 de julho de 2008

«Curiosidades FCP» - Tommy Docherty, o orador

Apesar de ter ficado ligado à pior classificação de sempre do FC Porto no campeonato nacional (9º lugar na época 1969/70), o técnico escocês Tommy Docherty, que já recordámos no «cromo do dia», continua com o seu prestígio intocável em toda a Grã-Bretanha. O escocês passou pelo FC Porto num dos períodos mais difíceis da história do clube e já depois de ter orientado três históricos do futebol inglês: Chelsea, Queens Park Rangers e Aston Villa.
Depois de terminar a carreira de treinador, Docherty, ou 'The Doc' como é apelidado em Inglaterra, começou a ser requisitado por vários clubes, e outras entidades, para conferências e palestras sobre futebol. Este antigo técnico do FC Porto já editou vários livros sobre o desporto rei e sobre as suas relações com jogadores, administradores e imprensa. Hoje recordamos uma dessas publicações (em cima). "Docherty", da autoria de Brian Clarke, retrata a carreira do 'Doc', primeiro como jogador e mais tarde como treinador. O livro descreve-nos todas as etapas da sua carreira, desde o convite do Chelsea para ser jogador-treinador dos londrinos até à despedida como treinador ao serviço do Altrincham FC.
Docherty representava o típico treinador britânico, directo e honesto mas com paixão pelo jogo e pelas equipas que orientava. O escocês era adepto das grandes palestras em detrimento dos aspectos tácticos e privilegiava também os jovens jogadores a quem gostava de motivar e estimular. Depois de terminada a carreira de treinador, essa forma de actuar valeu-lhe o reconhecimento de vários clubes e empresas ligadas ao desporto britânico, que o convidam para ser orador em conferências onde apresenta os seus pontos de vista sobre o futebol moderno e o jogado no seu tempo. Docherty também é constantemente convidado por rádios, televisões e jornais para dar a sua opinião sobre a actualidade do futebol britânico.

5 comentários:

Anónimo disse...

Amigo Ricardo Vara:


Achamos INJUSTO «colar» Tommy Doc à pior classificação de sempre de
1969/70.

Estude-se a época e mudar-se-á de opinião.

Se fôr necessário «voltar» ao tema...

Cumprimentos.

Ricardo Vara disse...

A verdade é que não era uma boa altura para se ser treinador do FC Porto. Mas nestas coisas sobra sempre para o treinador. Neste caso sobra também para António Teixeira, foi ele que terminou essa época, não foi?

Ricardo Vara disse...

Aliás, nessa época (a da pior classificação de sempre) o 'Doc' apanhou o comboio a meio, sucedendo ao Elek Schwartz. Foi assim, não foi?

Anónimo disse...

Amigo Ricardo Vara:


Exactamente já levantou a «ponta do véu».

E não esquecer, também e já agora, que sucedeu logo imediatamente após

- o primeiro «verão quente» (o de 1969) «provocado» pela saída de Pedroto;

- o segundo, por coincidência, ou talvez não (o de 1980), também sucedeu após saída de... Pedroto.

Mas, atenção:

Quando dizemos «a pior classificação de sempre», estamos a esquecermos de uma outra, nos anos 30, em que nem qualificados ficamos para disputar a fase final do campeonato.

Repescados, imagine-se, viemos a ser... campeões.

Com os Siskas, Avelinos Martins, Pingas, Carlos Nunes, Valdemares Motas, Acácios Mesquitas, etc., etc. (todos internacionais).

Cumprimentos.


PS. - Um pouco de história, de quando em vez, até faz bem. Uma
«história da memória» porque de... Museu, temos dito.

Drakonyaz disse...

Já li algumas versões sobre os treinadores do FC PORTO da época de 69/70, mas apoiado em parte no trabalho do blog "Arquivos da Bola" e nalgumas publicações, tenho para mim como a mais correcta a seguinte:

Elek Schwartz - 1ª a 11ª Jornada (4V-3E-4D 18GM-17GS 11P)(adoeçeu gravemente em dezembro, passando a orientar a equipa a partir de casa, via telefone)

Vieirinha - 12ª a 17ª Jornada (3V-1E-2D 7GM-6GS 7P)(ficou como treinador de campo durante a doença do treinador principal, e sucedeu-o até à chegada de Docherty no inicio de Fevereiro)

Tommy Docherty - 18ª a 26ª Jornada (1V-2E-6D 5GM-14GS 4P)(teve como técnico adjunto o António Teixeira)

Amigo anónimo,

percebo perfeitamente quando diz que é injusto colar a "pior classificação de sempre" ao Docherty, mas normalmente o que fica para a história são os numeros, e a frieza destes dizem-nos que nos 11 jogos que ele comandou a equipa, campeonato/taça de Portugal o FC PORTO venceu apenas 1 jogo, empatou 3 e perdeu 7, aliás em casa apenas conseguiu de positivo um empate frente ao Barreirense.

Mas claro, normalmente por detrás dos numeros existem muitas histórias que a própria história esquece.