quinta-feira, 5 de março de 2009

E o Basquetebol?

Futebol: 1º classificado. Andebol: 1º classificado. Hóquei em Patins: 1º classificado. Basquetebol: 8º classificado ?! Pois é, para quem acompanha as modalidades de pavilhão, é estranho ver o Basquetebol do FC Porto num modesto 8º lugar da tabela classificativa. Neste momento, até está em causa a presença nos play-off!
Uma das piores épocas de sempre que, num clube com cultura de vitória e habituado a ganhar em todas as frentes, não pode ser encarada apenas como um percalço. Aliás, já em anos anteriores, apesar das coisas não terem corrido tão mal, a organização em torno da secção de Basquetebol não estava a acompanhar a estratégia aplicada ás outras modalidades (Futebol, Hóquei em Patins e Andebol). Trocas constantes de treinadores, falta de liderança, norte-americanos sem valor para jogar no FC Porto,... Enfim, tudo o que o passado vitorioso do FC Porto na modalidade não merecia ver posto em causa.
Nos últimos anos, e apesar do FC Porto ter estado presente em várias finais, já se notava que as coisas não estavam a correr bem. E ainda assim, o FC Porto tem conseguido vencer no Basquetebol: 1 Liga (em 2003/04), 3 Taças de Portugal (em 2003/04, 2005/06 e 2006/07), 2 Taças da Liga (em 2003/04 e 2007/08) e 1 Supertaça (em 2003/04). Contudo, até os técnicos que deixaram o clube depois da conquista de vários troféus (como Luís Magalhães e Alberto Babo, por exemplo) foram críticos na altura de fazer o balanço da sua passagem pelo clube. Esta época, a situação agravou-se porque a falta de liderança, e os conflitos entre os jogadores, estão claramente a dividir o plantel. Nem o técnico Júlio Matos, que trouxe consigo a mística e vários títulos conquistados (como jogador e como treinador nas camadas jovens), tem conseguido unir o plantel.
O que tem faltado ao Basquetebol? Basta olhar para as outras modalidades. Tem faltado liderança e alguém competente que consiga 'fazer a ponte' entre o treinador e a administração.
Fernando Gomes, administrador da SAD do FC Porto e ex-jogador de Basquetebol do clube, tem sido, nos últimos anos, a pessoa que tem acompanhado com mais atenção o Basquetebol do clube. Não colocando em causa as aptidões do actual administrador da SAD do FC Porto, talvez a modalidade merecesse outra atenção e proximidade. Só assim se pode ter alguma estabilidade de forma a garantir que jogadores e treinadores representem o FC Porto durante várias épocas consecutivas (foi dessa forma que se consolidou a hegemonia do FC Porto no Futebol e no Hóquei em Patins). Com este constante 'entra e sai' não vamos lá!
Neste momento, só os mais atentos sabem os nomes dos norte-americanos do FC Porto. A velocidade com que estes jogadores deixam o clube nem sequer nos possibilita reter o seu nome. Chega a haver jogadores de Basquetebol que ficam à experiência durante uma semana! Se no Futebol também fosse assim...
Conclusão: não vale a pena trocar constantemente de treinador e gastar dinheiro com norte-americanos que não acrescentam qualidade ao plantel. Só faz sentido continuar com o Basquetebol se for para ganhar.

5 comentários:

Anónimo disse...

«... E o Basquetebol? ...»


Boa pergunta.

Falta-lhe um... Ilídio Pinto.

O falecido Matos Pacheco deve estar a dar «voltas» na tumba.

Daí pedirmos... «Deus guarde o nosso Ilídio Pinto».

O andebol está + ou - bem. Mas, nos momentos decisivos... cede.

Oxalá sejam todos vitoriosos no final pq só assim vemos o «nosso» presidente presente... a receber as respectivas faixas.

Anónimo disse...

Este blogue é fantástico. Parabéns!

Costa

Couto disse...

Basta analisar as declarações do Treinador do nosso clube no final do jogo para a Taça. Se depois disso ele continua à frente da equipa, algo vai mal na Secção....

Analisem e tirem as Vossas conclusões...

dragao vila pouca disse...

Meu caro Ricardo, eu que sou um apaixonado do Basquetebol e que acompanho, desde os tempos do Dover, o Basquete do F.C.Porto, não me lembro de uma coisa tão má.

Vamos aguardar que as coisas melhorem, mas pelo andar da carruagem, não acredito.

Um abraço

Anónimo disse...

«... não me lembro de uma coisa tão má ...»


Lembramo-nos nós.

Após a "era Dover" e na sequência da "revolução dos cravos" sucedeu-se a "invasão" dos retornados (no bom sentido).

E a nossa Secção não foi excepção.

Lembramo-nos da "debandada" dos mí ticos Manuel António e Fernando Go mes (o actual administrador) por se terem insurgido contra tal "in vasão".

O primeiro foi para o CDUP e o se gundo suspendeu a actividade, regr essando mais tarde.

Nos entretantos (entre 1976 e 1980 ) a Secção passou, aí sim, dos pi ores perídos da sua história.

Competitivamente, lembramo-nos,que disputou, por interdiução do nosso Pavilhão, em S. João da Madeira (1980) um jôgo decisivo em que se perdesse desceria de divisão e cu jo adversário foi o... benfica.

Ganhamos e... safamo-nos.

Já sob a chefia do Prof. Jorge Ara újo (que só "pegou" na equipa nes sa altura).

Na época seguinte o falecido Matos Pacheco, que tinha retomado a che fia da Secção continuou com o Prof Jorge Araújo (ainda muito jovem) e, a partir daí...

Actualmente, de facto, deixa muito a desejar a Secção.

Conhecemos algumas razões mas não as divulgaremos por motivos de ín dole profissional de quem à Secção muito se dedicou e que actualmente foi... renegado (no mínimo).

E assim se fez história...