segunda-feira, 4 de maio de 2009

Agora sim, preparem o 'champagne'!

Só faltam 3 pontos! Pois é, o tetra está muito perto e já não vai fugir. E atenção, porque se o Vit. Setúbal vencer em Alvalade (o Sporting joga Sábado), o FC Porto não necessita de esperar por Domingo e festeja o tetra no hotel!
Hoje, e apesar da vitória (3-0) por três golos de diferença, foi um FC Porto com mais transpiração e menos inspiração. Mas também é disto que se faz um (tetra) campeão.
Defrontando um adversário motivado e que joga bom futebol, o FC Porto foi obrigado a sofrer para trazer 3 dos 6 pontos que lhe faltavam para garantir o tetra.
Estávamos curiosos para saber se Jesualdo mantinha Farías no «onze» ou se optava por uma solução mais conservadora (e, ao mesmo tempo, mais adaptável ás transições rápidas de que o FC Porto podería beneficiar, jogando fora de casa e perante um adversário complicado), colocando Mariano Gonzalez na extrema-direita e deslocando Lisandro para ponta-de-lança. Jesualdo não surpreendeu e, sem Hulk e Lucho Gonzalez, colocou em campo o actual melhor «onze» do FC Porto. Com o que o Professor não contava era com a lesão de Meireles, que o obrigou a mexer na equipa demasiado cedo e, pior que isso, a ver o substituto do 'geómetra', Freddy Guarín, a perder demasiadas bolas e a bloquear alguns contra-ataques do FC Porto.
O colombiano é um jogador forte fisicamente mas está completamente desajustado da dinâmica da equipa. A rever nos próximos jogos.
Sem Lucho e sem Meireles (esperemos que a lesão não seja grave), houve necessidade de mudar o 'chip' dos tricampeões. O FC Porto passou a atacar aos repelões e com muito menos clarividência, mas depressa a equipa se apercebeu disso e passou a abordar os lances com entrega e concentração. O empate ou o aumentar da vantagem andaram sempre por perto, acabando por ser o FC Porto a acabar com o jogo depois do segundo golo.
Mesmo quando não é possível deslumbrar, os tricampeões abordam os jogos com a mesma mentalidade: vencer e marcar muitos golos. Só dessa forma é que foi possível manter uma sucessão notável de jogos sem derrotas. Depois do empate (0-0) frente ao Sporting, seguiram-se 7 vitórias consecutivas. Ainda mais sensacional é a quantidade de vitórias conseguidas nas últimas 13 jornadas. Depois do empate no Dragão, frente ao Trofense, seguiram-se 11 vitórias em 13 jogos (VVEVVEVVVVVVV). Bela sequência!
Afinal, os dois empates no Dragão, frente a Sporting e Benfica, até acabaram por ser bons resultados, tendo em conta que, no final desses dois clássicos, continuámos a manter uma importante vantagem emocional (a liderança da Liga) num ciclo de jogos que incluía a Liga dos Campeões e a Taça de Portugal.
Na altura, tínhamos referido que um FC Porto mais autoritário tería colocado logo ali um ponto final na discussão do título, mas, perante as extraordinárias exibições que o FC Porto tem realizado fora de casa (continua a vencer os jogos por mais de um golo de diferença!), acabou por não ser dramático empatar em casa com os dois rivais de Lisboa.
O FC Porto nunca se acomodou perante a diferença de 4 pontos para o segundo classificado e abordou bem a recta final da Liga: os 4 pontos não eram para gerir, mas sim para manter ou ampliar.
Agora, voltamos a ter a possibilidade de festejar o título em nossa casa (a propósito, nos festejos do título, o FC Porto devería colocar a hipótese de deixar de levar os jogadores ao altíssimo varandim do Estádio do Dragão e optar por uma solução de maior proximidade com os adeptos, talvez um palco na Alameda do Dragão). Seja como for, venha o tetra!

4 comentários:

dragao vila pouca disse...

Não vi o jogo, vi apenas o Domingo Desportivo e como devem calcular, apesar do resumo alargado, não dá para fazer uma análise correcta, se bem pelo que o resumo mostrou, me pareceu ter havido um grandíssimo Mariano e um bom Porto...mesmo sem Hulk, Lucho e com Meireles a sair muito cedo do jogo, o que fez com que o meio-campo fosse composto, com excepção de Fernando, por jogadores com poucos jogos e poucas rotinas.

Já se sente um intenso cheiro a manjerico, prenúncio de S.João antecipado, o que tem sido quase uma constante, nestes 27 anos de presidência de Pinto da Costa.

Domingo, lá estaremos preparados para a festa, mesmo sabendo que o adversário é muito difícil e não vem disposto a servir de bombo da festa azul e branca. O F.C.Porto é quase a única coisa que resta, para que este Norte esquecido e maltratado, tenha algumas alegrias e possa esquecer, por momentos, o drama do desemprego, das falências e da crise, que para estes lados, ainda é pior.

Um abraço

Dragao e Tripeiro disse...

De um modo geral, acho que foi um bom jogo dos Dragoes, por isso portistas, preparem-se para mais uma noite de S.Joao, metam o champanhe no frigorifico, ensaiem as gargantas porque vai haver festa do Tetra nao tarda...

Dragaopentacampeao disse...

Vitória importante, quase decisiva, no caminho firme para o Tetra.

O jogo não foi tão simples como o resultado pode sugerir.

O golo cedo tranquilizou a equipa que pôde gerir, controlar e mais tarde matar o jogo com mais dois golos.

Destaque para a segurança defensiva, com Helton, Rolando e Bruno Alves imperiais, mas debilidade nas transições ofensivas e alguma precipitação na finalização. Não fora isso e o resultado poderia ter sido alargado já na primeira parte.

Boa réplica do Marítimo, como se esperava, que mostrou qualidade de passe e troca de bola. Criou alguns lances para golo, não concretizados, valorizando o triunfo portista.

Para vencermos o Nacional no Dragão, teremos de ter ainda mais qualidade e eficácia.

O Tetra pode acontecer já na próxima semana.

Um abraço

POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL disse...

http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/