domingo, 31 de maio de 2009

Obrigado rapaziada!

Pois é, a «nova era» do futebol português pós-Apito Dourado abre com uma «dobradinha» do FC Porto. Depois de termos sido os primeiros campeões de Portugal, em 1935, voltamos a marcar um novo 'virar de página' no futebol português. E se ao Campeonato nacional e à Taça de Portugal juntarmos a próxima Supertaça, a disputar em Agosto, temos o FC Porto a monopolizar os novos tempos do futebol nacional. Agora, ficará apenas a faltar a pouco motivadora Taça da Liga, que tanto apreço mereceu por parte dos nossos rivais de Lisboa.
Ainda assim, esta foi apenas a 14 ª vitória do FC Porto na Taça de Portugal (continuamos a ser o clube português com mais finais perdidas: 12). Uma marca ainda relativamente curta para um clube que dominou o futebol português nos últimos 30 anos (compensamos as poucas vitórias na Taça de Portugal com um número brutal de Supertaças conquistadas: 15!).
É curioso que todos os últimos treinadores do FC Porto que representaram o clube durante mais de uma época acabaram por vencer o Campeonato e a Taça de Portugal: Jesualdo Ferreira, Co Adriaanse, José Mourinho, Fernando Santos, António Oliveira e Bobby Robson.
Hoje, o FC Porto valeu-se de uma velha máxima para vencer mais um troféu: 'as finais são para se ganhar'!
Não foi um jogo brilhante dos tetracampeões. Há muito tempo que não víamos o FC Porto vencer fora de casa por apenas 1 golo de diferença (1-0). Mérito do adversário? Talvez, mas pareceu-nos mais consequência da época desgastante que o FC Porto realizou. Fisicamente, a equipa está espremidíssima! Hulk, Lisandro e Rodriguez, por exemplo, terminaram o jogo de rastos. O Paços apresentou-se bem mais fresco, mas levou ao Jamor uma manta demasiado curta, pois nunca conseguiu colocar em causa a vitória do FC Porto. Mesmo nos últimos minutos de jogo, a bola andou sempre longe da baliza de Nuno.
O Paços não surpreendeu porque joga sempre um futebol positivo e ambicioso. Perante a postura das duas equipas, até julgávamos que o jogo tería mais golos. No entanto, teve apenas um, que premiou o altruísmo e dedicação de Lisandro Lopez.
Hoje, o meio-campo e o ataque do FC Porto não conseguiram massacrar os adversário como noutras ocasiões. Lá atrás é que ninguém vacila. Absolutamente notável a época realizada por Bruno Alves, Rolando e Fernando. Assim é muito difícil marcar golos ao FC Porto.
No final, só faltou vermos Lucho Gonzalez a erguer o troféu na tribuna de honra. Que pena 'El Comandante' não ter estado presente no relvado do Jamor. Para o compensar, dedico-lhe uma bela foto (em cima).
Mas como a «dobradinha» já é passado, agora é preciso pensar em novas conquistas. Depois das férias, e enquanto outros vão andar pelas pré-eliminatórias europeias, o FC Porto começa a preparar a 'Peace Cup' (é a 'Champions' da pré-época) e a Supertaça Cândido de Oliveira, duas competições que vamos querer vencer.
Nota final para a renovação de contrato de Jesualdo Ferreira. Foi previsível, porque Jesualdo está agora a desfrutar daquilo que é ser treinador do FC Porto. Além disso, o FC Porto devia-lhe um gesto de gratidão. Quanto ao 'timing' do anúncio da renovação, foi aquele que o FC Porto pensou ser o mais adequado. Não foi cedo nem foi tarde. O FC Porto é que marca a agenda!

4 comentários:

dragao vila pouca disse...

A dodradinha não estava famosa: muito feijão e pouca carne, mas o objectivo foi cumprido.

O gigante do Norte mostrou a sua força, a sua raça e invadiu o Jamor...

Acabou o tabú, como se ele alguma vez tivesse existido...

Jesualdo fez uma grande época e merece continuar, mas como sempre, vai partir do zero.

Um abraço

Dragaopentacampeao disse...

Foi um jogo fraco muito por culpa do FC Porto a quem se exigiria um futebol mais brilhante e ao alcance do seu potencial.

Fora isso esta final constituiu uma festa do futebol onde houve fair-play, convivência pacífica entre os adeptos de ambos os clubes e muito apoio às respectivas equipas.

Não vou enaltecer os pic-nic, as sardinhadas ou os churrascos, na mata do Jamor, tão ao gosto de alguns comentadores, para justificar as finais da Taça de Portugal no obsoleto estádio nacional.

Nisto estou com o Presidente: Querem sardinhadas? venham à Afurada ou ao Senhor de Matosinhos.

Quanto a Jesualdo, lá matou a curiosidade dos jornalistas. Mais duas épocas de dragão ao peito.

Espero as devidas correcções no plantel no sentido de melhorar a qualidade do passe, da circulação da bola e do poder de fogo que nos permita ambicionar voos mais altos.

Um abraço

Anónimo disse...

E já veio mais outra... a de campeão nacional de andebol!!!!

Petição disse...

POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL:
http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/