quarta-feira, 13 de maio de 2009

O clube da cidade do Porto, sempre!

Já se tornou uma tradição: sempre que o FC Porto conquista um novo título, lá vem a imprensa indígena lembrar-nos que «o FC Porto é um clube regional, sem dimensão nacional e que vive fechado sobre si próprio». Um discurso gasto e que serve apenas para tentar condicionar a cultura desportiva do clube. Os cães ladram e a caravana passa!
Ao utilizar estes argumentos de forma depreciativa (como se ser regional fosse um defeito!), a imprensa indígena pretende enfraquecer e, de alguma forma, tentar subalternizar o FC Porto junto da opinião pública que tem outras preferências clubístas. Comete um erro, porque é exactamente a cultura de clube regional que dá coesão e identidade ao FC Porto. O Barcelona, por exemplo, também tem uma base regional e isso não o impede de ser um clube de sucesso.
Nas actuais circunstâncias em que vivem a maior parte dos clubes portugueses, em perda de identidade e sem valorizar uma história própria, é motivo de orgulho ser adepto de um clube que olha para a sua dimensão regional como uma virtude (a propósito, para quando o festejo de um título em plena Ribeira?). O FC Porto há muito que perdeu os preconceitos!
Querer tornar o FC Porto num clube de dimensão nacional (partindo do princípio que a dimensão nacional é a preconizada pela imprensa indígena, ou seja, a que implica possuir 6 milhões de adeptos) seria 'contra-natura', isto porque a génese do clube é a defesa dos ideais e da cultura da cidade que representa, ao mesmo tempo que prestigia o nome de Portugal no estrangeiro. Foi sob essas premissas que o FC Porto foi fundado.
Nestas alturas, gosto de recordar o discurso de José Monteiro da Costa, no início do século XX: «tenho esperança de que o FC Porto haverá de ser grande, não se limitando a defender o bom nome da cidade, mas também o de Portugal em pugnas desportivas contra estrangeiros». Assim foi!
Aliás, o que não faltam é cidades europeias que apresentam o mesmo tipo de cumplicidade entre o seu clube mais representativo e os seus cidadãos: Barcelona, Liverpool, Marselha, Amesterdão, Munique,... Esta simbiose é algo que Lisboa, com a sua bipolarização clubista, nunca conseguirá atingir. Estará aqui uma das explicações para esta insistência no discurso do «clube regional».
O FC Porto nunca teve tantos sócios como tem actualmente e nunca viu o seu estádio com assistências tão numerosas como nos últimos anos (a média de espectadores no Estádio das Antas era de, aproximadamente, 25 mil pessoas, enquanto que no Estádio do Dragão subiu para, aproximadamente, 40 mil pessoas, a melhor média a nível nacional). Ao mesmo tempo, o FC Porto já é o clube preferido junto dos escalões etários mais jovens. Um registo que terá consequências nas próximas gerações.
Conclusão: não devemos ceder a este tipo de discurso que tem como único objectivo condicionar uma mística própria, construída entre o FC Porto e a cidade que representa. Espero, e desejo, que o FC Porto não perca a sua identidade em detrimento de uma pretensa expansão nacional que não terá qualquer consequência no dia-a-dia do clube e na sua orientação.
O FC Porto é o clube da cidade do Porto. Ponto final!

5 comentários:

Vasco Rocha disse...

«...a génese do clube é a defesa dos ideais e da cultura da cidade que representa, ao mesmo tempo que prestigia o nome de Portugal no estrangeiro.»

Nem mais.

Os habilidosos de Lisboa, ou não entendem ou não querem entender.

O (FC) Porto é um só!

R.Moreira disse...

Graças a Deus que nasci no Porto e
sou adepto e sócio(29 anos)do nosso
amado FCPORTO.Claro está de que o PORTO clube se mistura com o PORTO
cidade,situação que todos nós muito
nos orgulhamos, visto a cidade ser
conhecida como sendo do trabalho ,
da amizade , do bem receber , da
garra , etc ... assim como o FCP
Parabéns a todos os Portistas ...

Anónimo disse...

"O Barcelona, por exemplo, também tem uma base regional e isso não o impede de ser um clube de sucesso."

Eu até acrescentaria um dos clubes de maior sucesso a nivel planetário,tal como atestam todas as sondagens, ora aqui chegados, o FCP também com a sua matriz regional é uma "marca" conhecida a nivel planetário, alguém duvida desta certeza!!!
A região de Lisboa e Vale do Tejo é conhecida lá fora como sendo a Capital de um dos paises mais pobres da UE, alguém dúvida?
Logo num silogismo, pode-se afirmar, capital pobre de um pobre país.
Ou será rica?

dragao vila pouca disse...

Enquanto os aziados vão tentando desvalorizar todas as conquistas do F.C.Porto, com os mais variados argumentos, por outro lado, os estudos de mercado mostram, que a marca F.C.Porto é que dá mais retorno...Enfim, não percebem nada.

Um abraço

POR UMA REVOLUÇÃO NO FUTEBOL EM PORTUGAL disse...

http://www.ipetitions.com/petition/revolucaofutebolportugal/